Dom Luiz Antonio preside pela primeira vez Missa Campal de Corpus Christi, em Nova Friburgo

Diocese de Nova Friburgo, 24 de junho de 2022
Acessos: 222


Corpus Christi, solenidade, dia festivo em honra ao Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo. Em Nova Friburgo, para celebrar a grandeza desse momento, as comunidades se reuniram em 16 de junho para confeccionar os tradicionais tapetes de sal e participar da Santa Missa Campal, realizada na Paróquia São Bento Abade, no bairro Ypu, em Nova Friburgo.

Seguindo o tema proposto para o 18º Congresso Eucarístico Nacional: “Pão em todas as mesas” a celebração deste ano marcou a retomada da festividade nestes moldes, afinal nos últimos dois anos, devido ao período mais crítico da pandemia de Covid-19, tudo foi realizado com presença reduzida de fiéis e sem a confecção dos tapetes de sal. Também foi realizado o Corpus Christi Solidário com a arrecadação de alimentos, agasalhos e cobertores, destinados, por meio da Cáritas Diocesana, às pessoas em vulnerabilidade social.

 

Tapetes

A movimentação para a confecção dos tapetes de sal começou na noite anterior à solenidade, em 15 de junho, quando um grupo de voluntários, a partir das 22h, já se movimentava na Avenida Alberto Braune, situada no coração da cidade, para fazer a necessária demarcação do local onde ficaria cada um dos 70 tapetes. Durante a madrugada, por volta das 4h, quando a temperatura se aproximava do 5ºC na cidade serrana, outro grupo já preparava o carregamento das sacas de sal grosso, que deveriam ser distribuídas para o início do tingimento que dá vida aos desenhos artísticos.  

Por volta das 6h, chegaram aqueles que dariam vida aos tapetes: leigos e leigas de diferentes paróquias, movimentos e pastorais da Igreja; assim como integrantes de Colégios, escolas de samba, militares, entre outros. 

 

 

Alguns tapetes chamaram muito a atenção: dois da Catedral Diocesana, um trazia os três pastorinhos usando máscaras de proteção e outro que trazia o Sr. Ramalho recebendo a Sagrada Eucarística, ele que foi Ministro Extraordinário da Comunhão Eucarística por muitos anos e faleceu em decorrência da Covid-19; assim como o tapete confeccionado pelo Movimento Império das Negas, retratando a escritora Carolina de Jesus, mulher, negra, semianalfabeta e catadora de papelão, que tornou-se uma das mais importantes escritoras do país.

 

Santa Missa

Era notória a alegria de Dom Luiz Antonio Lopes Ricci, Bispo Diocesano, ao presidir a primeira Santa Missa Campal de Corpus Christi na cidade. Ao seu lado estavam diversos sacerdotes das paróquias locais, diáconos, seminaristas e expressiva presença do povo de Deus. Também participou da cerimônia o prefeito Johnny Maycon acompanhado pela primeira-dama, Lorraine. “Na hora da Divina Misericórdia, neste dia festivo, estamos reunidos no amor de Cristo para participar da Santa Missa da Solenidade Corpus Christi”, enfatizou o Bispo ao princípio da cerimônia.

 

 

Iniciando a pregação, Dom Luiz refletiu. “Hoje percorrendo a rua e a avenida onde foram montados os tapetes pude perceber o amor que nosso povo tem pela Eucaristia. De fato, a Eucaristia é a fonte, o centro da vida cristã. Sem a Eucaristia não podemos viver, é o Pão Vivo descido do céu. É Jesus, presença real na hóstia consagrada, nosso alimento para a nossa peregrinação, nossa caminhada em direção à Casa do Pai”.

- Quero manifestar minha gratidão pela presença de vocês aqui nesta Santa Missa e a todos aqueles que de alguma forma contribuíram para a realização da nossa Missa, da nossa procissão. É o meu primeiro Corpus Christi com vocês, com a procissão. Ano passado celebramos, mas não foi possível a Missa Campal. Mas esse ano, mesmo ainda com a preocupação por conta do aumento dos casos de Covid-19, foi possível retomar gradativamente a nossa alegria, tudo aquilo que já é feito aqui todos os anos. É uma tradição essa Missa e procissão de Corpus Christi, aqui em nossa cidade. Essa é a Missa da unidade. Por isso, estão aqui os padres de várias paróquias do município. Estamos todos aqui reunidos em torno do altar... Quero agradecer aos padres por todo zelo pastoral e por não deixarem faltar a Eucaristia na vida dos fiéis – ressaltou.

 

 

Nos instantes finais, o Vigário Episcopal Sede e Pároco da comunidade anfitriã, Pe. Gelcimar Petinati, agradeceu a todos os envolvidos na realização deste dia festivo. 

 

Procissão

Após a primeira benção com o Santíssimo, realizada ainda no local da Missa, teve início a procissão com Jesus Eucarístico pelas ruas da cidade. Foi dada uma segunda benção, esta para todo o município, e aconteceu na Prefeitura Municipal, com a presença do prefeito e da primeira-dama. 

Embalados por canções em louvor ao Santíssimo Sacramento e orações, os fiéis acompanhavam atentos as reflexões do Pe. Marcus Vinícius Moreira Falcão, Pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Olaria, que animou a caminhada de fé.

 

 

O local da terceira e última benção com o Santíssimo Sacramento foi a Catedral Diocesana. Ali, o povo foi convidado a iluminar a procissão com as lanternas de seus celulares, momento que tornou ainda mais visível, por meio das luminárias, a luz da fé que permanece acessa no coração de cada fiel. 

 

 

Texto:Grasiele Guimarães
Foto:Grasiele Guimarães

 


Compartilhe