NORTE: Primeira Eucaristia e Coroação de Nossa Senhora marcam encerramento do Mês Mariano Diocesano, em Bom Jardim

Diocese de Nova Friburgo, 10 de junho de 2022
Acessos: 434


A tarde de 29/5 marcava um dia muito especial para a comunidade da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Bom Jardim. No dia em que a Igreja celebrava a Ascensão de Jesus, 54 crianças participavam pela primeira vez do Banquete Eucarístico. Presidida pelo Pároco, Pe. Fr. Edson Marcos Minski, OAD, a Santa Missa marcava aos fiéis o momento em que Cristo nos recordava a importância deste caminho rumo à Pátria Celeste.

 

- Jesus é elevado aos céus não para se afastar de nós, de nossa humanidade, mas para nos elevar com Ele até o céu. Hoje também é festa porque temos essas crianças que receberão pela primeira vez a Eucaristia. O Corpo e o Sangue de Cristo, que é a fonte e o ápice da vida da Igreja e da vida de cada um de nós. Neste dia, também será aspergida sobre nós a água, que lembra de modo especial o nosso batismo. O nosso compromisso e, acima de tudo, aquilo que nós somos: filhos e filhas de Deus – afirmou o celebrante.

Em sua homilia, Frei Edson enfatizava que por 40 dias, ouvimos que Jesus aparecia aos seus discípulos e os ensinava sobre o Reino de Deus.

- Nestes quarenta dias que nós celebramos o Tempo da Páscoa, a Igreja, através da sua liturgia, foi nos apresentando esse Cristo vivo, esse Cristo ressuscitado. Também foi nos ensinando as coisas de Deus para que, depois, nós também pudéssemos repetir... Esse número 40 que fala na Sagrada Escritura é um número muito simbólico, é um tempo mínimo necessário para que o Mestre pudesse ensinar aos seus discípulos. Ensiná-los para depois repetirem as suas lições.

Nesses dias, a Liturgia nos mostrava os ensinamentos do Ressuscitado para "fortalecer nessa fé e nessa certeza. Para que nós, agora que o Cristo foi elevado aos céus, possamos dar esse testemunho do Cristo vivo e ressuscitado".

- Deus nos convida a participar da Vida Eterna, o Céu. Por isso, a Ascensão de Jesus não é um Jesus que se afastou de nós, que se afastou da nossa humildade. Mas é para Aquele que, como cabeça e primícias, abrisse as portas da Vida Eterna a cada um de nós. É por isso que Jesus veio, assumiu a nossa humanidade, se fez pequeno para nos tornarmos grandes. Essa é a nossa esperança que devemos alimentar na nossa vida, a esperança do Céu. Quem quer ir para o Céu? Essa é a nossa esperança, e nós temos que alimentar isso em nosso coração, em nossa vida. Nós temos que ser essa esperança do céu com o nosso próximo, aquele que aponta o caminho para onde devemos chegar. O céu não começa depois que morremos. O céu é cada dia buscar a Deus. Nós estamos peregrinando – refletiu o presbítero.

Dirigindo-se às crianças que fariam sua Primeira Comunhão, o sacerdote as recordou que "fazemos toda essa catequese, como Jesus fez com seus discípulos, para que pudéssemos aprender e depois viver e repetir esses ensinamentos. Tudo isso que vocês vivenciaram até esse momento, é para que agora vocês possam também já terem condições de, alimentados por Ele, viverem e ensinarem aquilo que já aprenderam sobre Jesus. Por isso que vocês devem cuidar de sempre ver a Eucaristia como esse alimento e força, como essa comunhão junto a Deus. E, aí sim, conseguiremos, cada dia, dar esse testemunho. Cada dia mais se aproximando do Céu".

 

Após a Eucaristia, encerrando o Mês Mariano Diocesano, a catequese paroquial preparou uma singela homenagem à Mãe de Deus e nossa, a Virgem Maria. A tradicional Coroação de Nossa Senhora encerrava já a noite especial com profunda emoção por parte dos paroquianos que acompanhavam.

Texto:Pascom da Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Bom Jardim)
Foto:Juliana Tostes

 


Compartilhe