Ordenação Presbiteral do Pe. César Agostinho acontece na culminância do Mês Mariano Diocesano

Diocese de Nova Friburgo, 06 de junho de 2022
Acessos: 552


O dia 27 de maio se tornou uma data memorável para a Diocese de Nova Friburgo. Data em que foram celebrados os 60 anos de consagração ao olhar e cuidado materno da Virgem Imaculada. Nesta data, a diocese também ganhou um novo membro na família presbiteral, o Pe. César Gomes Agostinho Júnior, que pela imposição das mãos e oração consecratória do Bispo Diocesano, Dom Luiz Antonio Lopes Ricci, foi ordenado presbítero da Santa Igreja. A solene celebração ocorreu na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, Cordeiro, paróquia e cidade de origem do neo-sacerdote.

 

A Santa Missa presidida por Dom Luiz contou com a presença do clero diocesano, familiares e amigos do ordenado, que encheram o templo da igreja matriz. 

 

Homilia

Após a apresentação e eleição do ordenando, o diácono foi acolhido com uma calorosa salva de palmas. Destacando a alegre manifestação de todos os presentes, o Bispo iniciou sua homilia.

- Que alegria o carinho do povo para com nosso quase sacerdote. Que bom ser querido, e a gente sabe que o diácono Cesar é muito querido por onde ele passa com seu jeito de ser, pela sua humildade, bondade, serenidade. Por onde ele passa, ele pacifica (...). É o que nós precisamos hoje nesse mundo marcado por tanta violência e divisões – disse o Epíscopo.

 

Dom Luiz continuou. “Em dezembro aqui estivemos para a Ordenação Diaconal no dia de Nossa Senhora de Guadalupe e hoje comemorando os 60 anos de consagração de nossa Diocese à Imaculada Conceição aqui estamos para a sua Ordenação Sacerdotal e na casa da Mãe nesta igreja dedicada à Nossa Senhora da Piedade”.

Dirigindo-se ao ordenando, o Bispo acrescentou. “Minha gratidão pelo seu ‘sim’, mas antes disso, pelo chamado de Deus, foi Ele quem te escolheu para este ministério. (...) minha gratidão também a todas as pessoas que fizeram parte desse seu percurso vocacional, à vida crista que recebeu dos seus pais”.

Dom Luiz Antonio partilhou com os presentes uma emocionante conversa com a mãe do Diácono César.

- Sua mãe me dizia antes da Missa que alguém ligou para ela dizendo que sua avó paterna ajudou muito aqui nesta igreja lavando as toalhas, servindo... Vejam os frutos do amor à Igreja! Quando a gente faz o bem por amor a Jesus e com amor, os frutos aparecem, ou na nossa família ou na família de alguém. Importante saber que tudo bem realizado produz bons frutos no tempo de Deus. Por isso quero agradecer sua família de sangue, agradecer sua família Igreja, e agora você vai fazer parte dessa família presbiteral”.

 

O Bispo seguiu com os agradecimentos.

 - Quero agradecer também ao Pe. Arnaldo que com bondade acolheu as duas ordenações, ele, a paróquia, toda a sua equipe envolvida em preparar esta celebração. Minha gratidão a Dom Edney, foi ele quem acolheu você no seminário, então estou colhendo frutos do meu antecessor. A recordação é muito importante, do nosso bispo emérito Dom Edney, recordar também os formadores que fizeram parte da sua história, também o Seminário Internacional de Bidasoa, na Espanha, minha gratidão aos benfeitores.

Ao fazer referência às leituras escolhidas para a Santa Missa, o ordenante acrescentou.

 - Na escolha das leituras a gente já consegue entrar um pouquinho no coração do ordenando. Tanto na escolha das leituras que ele teve a liberdade para fazê-lo como também nos lemas. (...) O lema que ele escolheu para ordenação sacerdotal é esse, “Tende em vós o mesmo sentimento de Cristo Jesus”, da Carta aos Filipenses, Capítulo dois, que é uma pérola! E quais são os sentimentos de Cristo? Seria ódio, seria divisão, seria violência? E por que insistimos nisso? Nós somos cristãos, a humildade, (...) esvaziar-se de nós mesmos para acolher Jesus e seu projeto de amor, esvaziar-se de nossas ideologias e nossas convicções que muitas vezes não estão em sintonia com o Evangelho e o ensinamento da Igreja. Obrigada Diácono César por nos recordar que somos cristãos católicos e precisamos recordar os sentimentos de Cristo. Obrigado por recordar e testemunhar isto!   

10 11 12

 

Ao encerrar sua fala, Dom Luiz também agradeceu aos responsáveis pelo Mês Mariano Diocesano.

 - Como não encerrar agradecendo ao Pe. Marcus Vinícius Falcão e a todos os padres que colaboraram na realização desse Mês Mariano Diocesano. Hoje é a culminância, 60 anos da consagração da nossa diocese que nós vamos atualizar hoje aqui. Agradeço aos padres e a todas as pessoas que se envolveram e que foi tão fecundo. Nossa ação de graças a Deus e a Nossa Senhora, e com ela cantamos ‘O Senhor fez em nós maravilhas e santo é o Seu nome’.

Após a Ladainha de Todos os Santos, durante a qual o candidato se prostra por terra, em sinal de humildade, amor e entrega a Deus que o chamou, o Bispo Diocesano impôs as mãos, em silêncio, sobre a cabeça do eleito, ato que constitui a ‘matéria’ do Sacramento, o mesmo foi feito pelos sacerdotes presentes, pois gozam de comum e semelhante espírito sacerdotal.

 

Pe. Arnaldo paramentou o neo-sacerdote, que em seguida apresentou as mãos ao Bispo a fim de serem ungidas com o sagrado Crisma.

 

Mês Mariano Diocesano

Ao final da celebração, foi realizado o momento Mariano, de coroação e consagração à Virgem Maria, em que rezamos juntos a oração composta por Dom Clemente José Carlos Isnard, OSB, renovando a consagração da Diocese de Nova Friburgo à Imaculada Conceição.

 

 

Agradecimento

Em seus agradecimentos, o Pe. César Gomes Agostinho Junior emocionou todos os presentes com suas simples, humildes e profundas palavras:

 “Dia 12 de dezembro do ano passado, como tão bem Dom Luiz falou, escolhi para lema de Ordenação Diaconal: “Trazemos este tesouro em vaso de barro”. De um lado, a grandeza da vocação sacerdotal, de outro lado, a fragilidade daqueles que são chamados a tão grande dom, mas olhar a vocação sacerdotal a partir do olhar de Deus, entre a dignidade da vocação e a fragilidade dos que são chamados, está o amor de Deus. E olhar a vocação sacerdotal a partir do amor de Deus, tudo muda, porque a fraqueza daqueles que são chamados bem longe de ser um empecilho em realidade se torna uma força, uma grande força.

E agora na Ordenação Sacerdotal “Tende em vós os mesmos sentimentos de Cristo Jesus”. Na fragilidade daqueles que recebem tão grande dom chamados a ter o mesmo sentimento do coração de Cristo. E aqui tenho duas certezas na minha vida: a primeira é que estou longe de ter os sentimentos do coração de Cristo, e a segunda que sou profundamente amado por Ele.

E aqui nesta realidade aprendi uma coisa, que não amamos as pessoas porque elas sejam boas, mas é o fato de as pessoas sentirem-se amadas por nós que faz com que elas possam ser melhores. E, por isso, não tenho o sentimento de Cristo, mas por ser profundamente amado por Ele, dia a dia, eu desejo adquirir estes sentimentos. E por isso no dia de hoje quero exclamar como exclamou São Bernardo, “o meu mérito é a misericórdia de Deus”. Misericórdia de Deus que nessa jornada se encarnou em várias pessoas e aqui só me resta a gratidão”.

Texto:Pascom da Paróquia Nossa Senhora da Piedade (Cordeiro)
Foto:Lucas Lima

 


Compartilhe