Mês Mariano Diocesano - Romaria Diocesana 2022 é realizada com presença dos fiéis, em Aparecida (SP)

Diocese de Nova Friburgo, 31 de maio de 2022
Acessos: 145


Certamente, a Romaria Diocesana ao Santuário Nacional de Aparecida (SP) foi um dos momentos marcantes desde Mês Mariano Diocesano, celebrado em razão dos 60 anos da Consagração da Diocese de Nova Friburgo à Imaculada Conceição. A Romaria aconteceu em 21 de maio, coroando o Retiro Anual do Clero Diocesano realizado entre os dias 17 e 20 de maio, também em Aparecida.

 

A Romaria de 2022 marcou o retorno dos fiéis à casa da Mãe e Rainha do Brasil, após dois anos realizada sem a presença dos fiéis da diocese na Basílica de Aparecida, devido à pandemia de Covid-19. Sabendo que está Romaria tornou-se um momento ainda mais especial, o Bispo Diocesano declarou. “Também estou aqui como romeiro, antecipando o meu jubileu sacerdotal aqui na casa da Mãe”.

- Minha gratidão aos romeiros da Diocese de Nova Friburgo, sei que vocês fizeram sacrifícios para estar aqui conosco rezando pela nossa Diocese, em ação de graças pelos 60 anos de consagração de nossa Diocese à Imaculada Conceição, celebrado no dia 27 de maio... Estamos aqui para rezar pela nossa Diocese, por toda a Igreja, pelo nosso Papa, por todas as Dioceses, pelos bispos, e por vocês irmãos e irmãs. Rezem por nós bispos, pelos padres, para que sejamos fiéis no trabalho missionário de evangelização – declarou o Epíscopo.  

 

Prosseguindo, o Bispo recordou o Salmo 121: ‘Que alegria quando ouvi que me disseram: vamos à casa do Senhor, e acrescentou.

- Que alegria quando comunicamos: neste ano terá Romaria, graças a Deus. Então, sei que muitas Romarias foram adiadas, mas depois de dois anos de pandemia, e ainda estamos, devemos ter os cuidados, que alegria estar na casa da Mãe. Tive uma graça especial. No sábado passado, estava em Trindade, Goiás, no Santuário Basílica do Pai Eterno, presidi a Missa ali por ocasião da Vigília pelos Mortos de Aids. Da casa do Pai para a casa da Mãe, e da casa da Mãe, peregrinamos em direção à casa do Pai, que é a nossa morada definitiva. Estar na casa da Mãe no sábado, que na liturgia dedicado a ela é tudo de bom. Estamos aqui como filhos de Maria que caminhamos em direção à casa do Pai contando com a poderosa intercessão de Nossa Senhora e, lógico, com Jesus que caminha conosco.

“Nós padres e eu bispo por dois anos viemos para o nosso retiro e nossa Romaria, mas sem a participação do povo. Trouxemos todos, como eu dizia, no olhar e depositamos no altar. Que bom ver tantos rostos conhecidos... aqueles que não puderam vir e nos acompanham de longe sintam-se todos participantes desta Romaria, sintam-se acolhidos na casa da Mãe”, complementou Dom Luiz Antonio.

 

Falando a respeito da necessária unidade entre os cristãos e o rompimento do círculo de ódio que assombra, sobretudo, as redes sociais, o Bispo alertou-nos que “estamos aqui como filhos de Maria, e se tem uma coisa que agrada a Mãe é ver seus filhos unidos. Nenhuma mãe se alegra quando percebe ódio entre os membros da família... Se queremos agradar à Mãe, à Senhora Aparecida, vamos viver como irmãos, vamos viver o mandamento do amor, sejamos reconhecidos no trabalho, nas redes sociais a partir do amor: ‘nisto serão reconhecidos como meus discípulos’.

Ao final da celebração, todos voltaram-se para a imagem de Nossa Senhora Aparecida para a consagração à Mãe e Rainha do Brasil.

 

 

Texto:Grasiele Guimarães
Foto:Grasiele Guimarães e Romeiros da Diocese de Nova Friburgo

 


Compartilhe