Clero Diocesano participa de Retiro Canônico e Romaria, em Aparecida - SP

Diocese de Nova Friburgo, 30 de outubro de 2021
Acessos: 410


Entre os dias 25 e 29 de outubro, o Clero da Diocese de Nova Friburgo se reuniu em seu Retiro Anual. Pregou neste retiro o Bispo Emérito da Diocese de Volta Redonda - RJ, Dom Francisco Biasin. O Retiro Canônico aconteceu em Aparecida, no interior paulista. Coroando o encontro, foi realizada a Romaria Diocesana ao Santuário Nacional de Aparecida, com a Santa Missa presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Luiz Antonio Lopes Ricci. Tudo transcorreu respeitando os protocolos da Covid-19.

 

Previsto no Código de Direito Canônico (cânon 276 § 2 4º), o Retiro Anual do Clero é um momento de pausa na intensa atividade pastoral, proporcionando ao presbitério dias de reflexão, oração e silêncio, com a celebração diária da Santa Missa, Ofício das Leituras, Laudes, entre outros momentos propícios ao crescimento espiritual.

Na manhã desta quinta-feira (28/10), aconteceu a Missa de encerramento do Retiro Canônico do Clero da Diocese de Nova Friburgo. Presidiu a cerimônia Dom Francisco Biasin, que pregou o encontro. Concelebraram: Dom Luiz Antonio Lopes Ricci; o Bispo da Diocese de Itapipoca - CE, Rosalvo Cordeiro de Lima, e os presbíteros da Diocese de Nova Friburgo.

 

 

Romaria Diocesana

Iniciando a Santa Missa no Santuário de Aparecida, Dom Luiz Antonio saudou a todos, a todos. De modo especial mencionou a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Rio das Ostras, pelo falecimento de seu Pároco, Pe. João Machado Evangelho, ocorrido no último sábado (23/10), lembrando que estamos todos enlutados.

Dando continuidade, o Epíscopo afirmou. “Estou aqui como romeiro e devoto que sou de Nossa Senhora. Estamos aqui para agradecer as maravilhas que Deus fez em nós”. Prosseguindo, lembrou a alegria de estar na Casa da Mãe Aparecida em outubro, Mês Missionário, mas também Mês da Mãe Aparecida, cuja data é celebrada em 12 de outubro. Oportunamente, mencionou o Retiro do Clero e agradeceu a Dom Francisco Biasin por pregar este retiro.

Dom Luiz Antonio recordou que, devido à pandemia de Covid-19, pelo segundo ano consecutivo não houve a possibilidade de ocorrer a Romaria Diocesana nos moldes habituais, com a participação das diversas caravanas das 60 paróquias da Diocese, mas afirmou à comunidade diocesana. “Nós (Bispo e os padres) trazemos todos vocês no olhar e no altar. Acreditem nisso! Nosso olhar deve ser de pastor, que orienta, acolhe e acompanha... Todos vocês que nos acompanham sintam-se em nossos corações”.

 

O Sucessor dos Apóstolos também desejou que “essa romaria traga bons frutos para nós, para a nossa vida... Acreditamos em tudo aquilo que é feito com amor!”. “Queremos rezar pelo nosso povo aqui na casa de Mãe, a Padroeira do Brasil”, acrescentou. Falando a respeito da tão necessária unidade, complementou. “Estando aqui, vamos renovar o nosso compromisso de unidade. O que entristece o coração da mãe? Ver os filhos divididos. Toda mãe quer ver seus filhos unidos... Vamos fazer esse compromisso de nos manter unidos: família Igreja, família sociedade... vamos dar a nossa decisão para pacificar e unificar o nosso país”.

E disse ao final da pregação. “Ao encerrar esse mês de Nossa Senhora devemos assumir esse compromisso de ser instrumentos de paz.... Buscar o que nos une e não o que nos separa...Vamos agradar a mãe fazendo de tudo para manter a família unida e vivermos como irmãos”.

Texto:Grasiele Guimarães
Foto:Grasiele Guimarães (arquivo), Pe. Aurecir Martins de Melo Junior, Pe. Thiago Robadey e imagens da Santa Missa Santuário Nacional de Aparecida

 


Compartilhe