Sínodo 2023 – Abertura Diocesana marca início dos trabalhos sinodais na Diocese de Nova Friburgo

Diocese de Nova Friburgo, 22 de outubro de 2021
Acessos: 330


Na Diocese de Nova Friburgo a tarde de 17 de outubro marcou o começo da fase diocesana do Sínodo 2023, convocado pelo Papa Francisco. A Missa de abertura do Sínodo, também realizada nesta data nas dioceses do mundo inteiro, foi presidida por Dom Luiz Antonio Lopes Ricci (Bispo Diocesano) e aconteceu na Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Olaria – Nova Friburgo. Houve a transmissão ao vivo pelas redes sociais da Diocese (Facebook e YouTube).

Com o tema: “Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão”; o Sínodo 2023 é um processo de dois anos, no qual acontecerá uma escuta do povo de Deus, a nível mundial. Será dividido em etapas, começando em outubro de 2021, com a ‘fase de escuta diocesana’ e culminando a ‘fase da Igreja universal’, na tradicional assembleia do Sínodo dos Bispos no Vaticano, em outubro de 2023. Na Diocese de Nova Friburgo as comunidades terão até dezembro de 2021 para encaminharem o retorno das questões.

Devido à pandemia de Covid-19, a cerimônia contou com a presença dos presbíteros e de alguns diáconos, seminaristas, religiosos e religiosas, leigas consagradas, os coordenadores diocesanos de pastorais movimentos e associações, lideranças das novas comunidades, leigos e leigos, lideranças civis... Também estavam presentes na celebração os pastores das Igrejas: Metodista, Presbiteriana e Luterana, presença esta que Dom Luiz Antonio destacou como “um sinal de unidade”. 

 

Homilia

Acolhendo a todos, o Bispo Diocesano iniciou a pregação.

- Nesta liturgia, neste momento orante, estamos abrindo esta fase de escuta diocesana do Sínodo sobre a Sinodalidade: ‘Por uma igreja sinodal: comunhão, participação e missão’.  Minha gratidão pela presença de todos! Muitos vieram de longe... Hoje no mundo inteiro todas as dioceses estão fazendo a abertura desta fase de escuta a nível diocesano. O Papa já realizou a abertura no domingo passado (10/10) e aqui estamos para iniciar esse processo em comunhão. Minha gratidão ao Pe. Alexandre Albuquerque, nosso Coordenador Diocesano de Pastoral que recebeu a missão de coordenar essa fase diocesana do Sínodo – disse.  

 Durante sua fala recordou que há 30 anos seu predecessor, Dom Clemente Isnard, OSB, concluía nesta mesma igreja o Sínodo Diocesano, em 1991. “Muitas pessoas que hoje aqui estão também estavam naquela ocasião”, afirmou.

Prosseguindo com a reflexão, explicou que Sínodo significa caminhar juntos, apontando este como o objetivo da Igreja. “O Papa diz que fazemos o Sínodo com oração, adoração e escuta. É isso! Em primeiro lugar, estamos aqui para ouvir os apelos de Deus para nós hoje, essa fase da escuta. Escutar o povo de Deus, todos e todas. Estamos iniciando o processo. Este Sínodo durará dois anos. É um processo longo, mas ele tem uma dinâmica toda especial”, complementou.  

 

O Epíscopo lembrou quão necessário se faz despertar o desejo de participação e o desejo de colaborar nesta fase de escuta, contudo alertou.

- Colaborar não por obrigação. Não se trata de fazer algo, entregar um relatório, mas ser Igreja. Precisamos passar do dever ao dom. Um Sínodo é um dom da Igreja, do Espírito Santo. No começo deste ano nem imaginávamos que teríamos um Sínodo. O Papa nos surpreendeu com esta feliz notícia. Acreditamos que o Espírito Santo governa a Igreja, essa é a nossa fé! Precisamos passar do dever ao dom. aí tudo fica mais leve e adquire um sentido mais profundo.

Mencionando as palavras de Santo Agostinho, que dizia: ‘Devemos desejar grandemente as coisas grandes’, descreveu o Sínodo como uma dessas grandes coisas, pois trata-se de evento eclesial mundial. Dando continuidade, orientou à comunidade diocesana.

- Devemos colocar as nossas energias naquilo que tem relevância e vai fazer muito bem para a Igreja de Cristo. Para que tenhamos uma fase de escuta bem fecunda, primeiramente precisamos escutar a palavra de Deus, os apelos que o Espírito Santo nos faz. A Palavra é referência. Igreja deseja escutar a voz dos fiéis, dos afastados, dos distantes, de todos aqueles que querem colaborar com a sua ação evangelizadora. É a mesma Igreja que escuta e quer ser escutada! Todos nós gostamos de ser escutados, mas implica a abertura para escutar.... Por isso, não é por acaso que a audição é anterior à fala – disse também refletindo - queremos escutar falas pautadas pela gentileza, colaborativas, que nos ajudam a crescer.

O Prelado enfatizou a insistência de Francisco por uma ‘Igreja em saída’, que escuta, vai ao encontro para ouvir. “Temos o ouvir, o escutar, e entre os médicos o auscultar. Colocar o ouvido bem próximo. Auscultar o quê? O coração da Igreja, os pulmões da Igreja, colocar o nosso ouvido bem próximo. A partir da escuta podemos ter uma imagem real, não imaginária da nossa Igreja, da nossa realidade. Quem escuta vê profundamente, sai da superfície, escutar é sentir, é ver”, salientou.

 

Mencionando o Papa Francisco, Dom Luiz Antonio enfatizou que fazer Sínodo significa estar pronto para a aventura do caminho. E, por fim acrescentou uma indagação do Sumo Pontífice na ocasião da abertura deste Sínodo: ‘Estamos prontos para a aventura do caminho ou, temerosos face ao desconhecido, preferimos refugiar-nos nas desculpas «não adianta» ou «sempre se fez assim»?’ (Para Francisco, abertura do Sínodo 2023 - 10 de outubro de 2021). E concluiu. “O sínodo é uma obra de Deus, é fruto do espírito Santo. Que o senhor leve a bom termo todo esse processo que hoje estamos iniciando, desde que possamos colaborar com a obra de Deus”.

Ao encerrar a pregação, com o cântico Momento Novo, composta pelo Pastor Ernesto Barros Cardoso, o Sucessor dos Apóstolos declarou aberto o Sínodo na Diocese de Nova Friburgo:

 

Momento Novo (composição Pr. Ernesto Barros Cardoso)

Deus chama a gente pra um momento novo,

De caminhar junto com o Seu povo

É hora de transformar o que não dá mais

Sozinho, isolado, ninguém é capaz

 

Não é possível crer que tudo é fácil

Há muita força que produz a morte

Gerando dor, tristeza e desolação

É necessário unir o cordão

 

Por isso vem entra na roda com a gente também

Você é muito importante

 

 

Momentos finais

Nos instantes finais, o Pe. Manuel Monroy, membro da Comissão Diocesana para o Sínodo 2023, destacou que o Sínodo é um caminho que temos como Igreja. Em seguida, o Pe. Alexandre Albuquerque apresentou aos partícipes todos os integrantes da Comissão Diocesana, que estará coordenado os trabalhos relacionados ao Sínodo. A comissão é composta por três presbíteros: Pe. Alexandre Albuquerque, Pe. Mauro Nunes (Vice coordenador Diocesano de Pastoral) e Pe. Manuel Monroy; uma leiga consagrada: Sra. Lúcia Jasmim (Vicariato Sede – Nova Friburgo), uma religiosa: Ir. Fabíola (Franciscanas de Dillingen – Nova Friburgo), um leigo do Vicariato Litoral: Leonardo (Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Rio das Ostras), uma leiga do Vicariato Norte: Luciana (Paróquia Nossa Senhora da Piedade – Cordeiro) e um seminarista: César (que concluiu os estudos se prepara para as ordenações).

 

Ao final todos receberam um subsídio de apoio produzido pela diocese para auxiliar as comunidades a responderem o material do Sínodo. Também foi encaminhado, via e-mail, aos presbíteros e às paróquias o Documento Preparatório e o Vademecum para o Sínodo sobre a Sinodalidade. Cada grupo deverá se reunir e encaminhará suas respostas aos e-mails, criados exclusivamente para as questões do Sínodo 2023. Cada grupo deverá enviar as suas respostas para o endereço de e-mail correspondente. São eles:

 

presbíteros (processoescutasinodal_presbiteros@diocesenf.org.br)

diáconos (processoescutasinodal_diaconos@diocesenf.org.br)

seminaristas (processoescutasinodal_seminaristas@diocesenf.org.br)

grupos da sociedade civil (processoescutasinodal_gruposociedadecivil@diocesenf.org.br)

consagrados (processoescutasinodal_consagrados@diocesenf.org.br)

 pastorais (processoescutasinodal_pastorais@diocesenf.org.br)

movimentos eclesiais (processoescutasinodal_movimentoseclesiais@diocesenf.org.br)

minorias e excluídos (processoescutasinodal_minorias@diocesenf.org.br)

movimentos sociais (processoescutasinodal_movimentossociais@diocesenf.org.br)

escuta sinodal ecumênica (processoescutasinodal_ecumenico@diocesenf.org.br)

escuta sinodal inter-religiosa (processoescutasinodal_interreligioso@diocesenf.org.br)

 

Em janeiro de 2022, a Comissão Diocesana reunirá todas as respostas de cada um dos grupos mencionados acima, para a reunião pré-sinodal, em 19 de fevereiro de 2022, com a conclusão dos trabalhos relacionados ao Sínodo na Diocese e o fechamento do material que será encaminhado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Entre abril e outubro de 2022, será realizada a ‘fase continental do Sínodo’. Por fim, será preparada a ‘fase final’ que ocorrerá em Roma, em 2023.

 

Homenagem

Finalizando a celebração, o Pe. Higor Moraes de Jesus, Assessor Eclesiástico das Leigas Consagradas da Ordo Virginum, homenageou a Sra. Lúcia Jasmim, que nesta data completou 37 anos de sua consagração.

 

Texto:Grasiele Guimarães
Foto:Grasiele Guimarães

 


Compartilhe