Encerramento do Retiro do Clero acontece com Romaria Diocesana Virtual ao Santuário de Aparecida

Diocese de Nova Friburgo, 08 de novembro de 2020
Acessos: 419


No último dia 30 de outubro encerrou-se, com a Romaria Diocesana Virtual, o Retiro Canônico do Clero da Diocese de Nova Friburgo, realizado em Aparecida do Norte – SP.

 

Durante cinco dias, os presbíteros, seculares e religiosos, estiveram reunidos para reflexão e oração. Direcionados por Dom Paulo De Conto, Bispo Emérito de Montenegro – RS, o grupo se inclinou sobre o tema da fraternidade presbiteral.

Dom Paulo iniciou as meditações recordando aos presentes o valor da família no exercício do ministério e para a fecundidade da vocação. Nesta perspectiva, advertiu que o Presbitério da Diocese deve ser também uma família, onde como irmãos, cada presbítero sente-se responsável uns pelos outros.

O pregador, fazendo memória a inúmeras experiências vividas pelos locais onde passou exercendo seu ministério presbiteral e episcopal, conclamou todos a olhar para as debilidades alheias com olhar de misericórdia e amor.

Na véspera de encerramento do exercício espiritual, os sacerdotes se encontraram em torno do Santíssimo Sacramento para louvar a Deus pelo dom imerecido do sacerdócio, bem como para lembrar e honrar todo os padres que deram a vida pela anúncio do Reino nesta diocese e também rezaram por aqueles que, por necessidades especiais, não puderam estar presentes no retiro.

Após as atividades espirituais, Dom Luiz Antonio Lopes Ricci, Bispo Diocesano de Nova Friburgo, aproveitou o grande número de presbíteros reunidos e realizou a primeira reunião geral do clero de sua gestão. Foram tratados diversos assuntos referentes ao Governo da Diocese, incluindo assuntos da parte econômica.

Na manhã da sexta-feira (30/10), todos se reuniram na Basílica de Nossa Senhora Aparecida para juntos, com toda a Diocese agradecer a intercessão da Padroeira do Brasil. Estava presente na celebração Dom Rosalvo Cordeiro, Bispo eleito de Itapipoca – CE, que também fez o retiro com o clero de nossa diocese.  

 

Romaria Diocesana

- É uma alegria estarmos aqui reunidos na Casa da Mãe! Mesmo nesse tempo de pandemia, tempo difícil, temos o privilégio de estar aqui. Nós que aqui estamos trazendo no coração todo o povo brasileiro, toda a humanidade, a esperança e a dor, tudo no altar do Senhor e no colo da Mãe Aparecida. Queremos rezar por vocês e com vocês que nos acompanham de longe nessa transmissão da Santa Missa, de modo especial o povo da Diocese de Nova Friburgo, que nos acompanha nessa Romaria Virtual Diocesana. Para mim é uma alegria! Estou aqui como peregrino para agradecer a minha nomeação como Bispo de Nova Friburgo, a minha posse e todas as maravilhas que Deus fez em minha vida e em nossa vida – disse Dom Luiz Antonio ao iniciar a pregação da Santa Missa no Santuário Nacional.

Na oportunidade, saudou Dom Paulo e Dom Rosalvo, assim como o Presbitério da Diocese de Nova Friburgo, que na ocasião e representava o povo diocesano, que devido à pandemia, em 2020, não teve a possibilidade de participar da Romaria anual ao Santuário Nacional de Aparecida.

 

Na pregação, dois verbos ocuparam lugar de destaque na reflexão do Epíscopo: altar e olhar, sobre os quais acrescentou. 

-  No altar depositamos a nossa vida. Nesse altar, desse santuário, onde celebramos o sacrifício redentor de Cristo, no altar a nossa vida. No olhar levamos vocês até a Mãe Aparecida. Estamos usando máscaras, a mascara não cobre o olhar, e o olhar transmite a fé, transmite tudo. No olhar diante da Mãe apresentamos a nossa vida, a nossa realidade sofrida e difícil. Por isso, me lembro um texto da Igreja, do Concílio Vaticano II, que diz assim: as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias das pessoas de hoje, sobretudo dos pobres e daqueles que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos Discípulos de Cristo,  e não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco em seu coração. Nós trazemos como Igreja e depositamos no altar toda a nossa realidade.

 

E complementou. “Estamos aqui para agradecer, para renovar a nossa teimosa esperança, mas também estamos aqui para rezar, para colocar no coração de Deus e da Mãe as nossas angústias, nesse tempo de incertezas, de dor, luto... Estamos aqui para pedir ao Senhor, como diz o salmista, que Ele complete a obra que as mãos dele iniciaram em nós. Vamos permitir que Deus possa continuar operando em nós, também nesse tempo difícil”.

Por fim, lembrando o Evangelho de Jo 2, Bodas de Caná, concluiu a pregação.

- Viemos aqui para que Jesus esvazie as nossas talhas para que Ele possa completa-las com o vinho novo, o vinho bom, como nas Bodas de Caná. Se as nossas talhas estão cheias de vaidade, orgulho, presunção e arrogância, vamos pedir que Jesus nos esvazie disso tudo e que Ele preencha nossas talhas, a nossa vida, com o vinho novo, o vinho bom da misericórdia e da humildade.

Texto:Pe. Aurecir Martins de Melo Junior (Coordenador Diocesano da Pascom) e Grasiele Guimarães
Foto:: Pe. Aurecir Martins de Melo Junior (Coordenador Diocesano da Pascom)

 


Compartilhe