LITORAL: Macaé celebra o Dia de Finados em suas comunidades paroquiais

Diocese de Nova Friburgo, 11 de novembro de 2020
Acessos: 367


A comunidade católica macaense celebrou no último dia 2 de novembro a Comemoração dos Fiéis Defuntos, o Dia de Finados, ocasião para relembrarmos e elevarmos nossas orações a Deus pelas almas dos fiéis falecidos.

Em 2020 ano não houve Missas celebradas nos cemitérios devido à pandemia mundial de Covid-19, porém as comunidades realizaram Santas Missas nos templos em sufrágio dos falecidos, respeitando os protocolos de saúde de distanciamento social. Confira como foram as Celebrações Eucarísticas nas Paróquias de Macaé.

 

Paróquia São João Batista - Macaé
No dia 2 de novembro de 2020, na Paróquia São João Batista, em Macaé, foram celebradas as Missas dedicadas a Todos os Fiéis Defuntos, presididas pelo Monsenhor José Luiz Bustamante Sá.

Durante sua homilia, Monsenhor José Luiz nos lembrou que a morte não é castigo divino, mas sim a nossa oportunidade de seguir para a vida eterna junto a Jesus Cristo. Destacou que nós, mortais, que ainda estamos aguardando nosso momento, nos impressionamos quando pessoas próximas a nós são chamadas e não deveríamos, pois aqueles que já morreram, ressuscitaram em Cristo e estão na eternidade zelando por nós,  nos amando.

Ainda em sua fala, Monsenhor criticou o apego do ser humano aos elementos mundanos, tais como: o dinheiro, o poder, o prazer. Como cristãos, precisamos escolher os valores ensinados por Jesus. Essas escolhas refletirão em nossa ida para a eternidade.

 

Ao final das celebrações, o Pároco explicou aos fiéis como podem ser concedidas Indulgências Plenárias aos entes falecidos, nesse período, através de suas orações. Destacou também que precisamos ter os santos como nossos exemplos, nos arrependermos de nossos pecados, realizarmos nossa missão na Terra e estarmos cientes de que quando chegar nossa hora, será o momento de encontrarmos com Cristo Jesus.

As celebrações ocorreram em quatro horários distintos, para respeitar o protocolo de saúde contra a Covid-19, sendo que a Missa celebrada às 9h foi transmitida pela página de YouTube da paróquia, atendendo àqueles fiéis que devido à pandemia ou por qualquer outro motivo não puderam estar presentes.

 

Paróquia Nossa Senhora das Neves - Macaé
Na segunda-feira (2/11), celebramos a memória dos Fiéis Defuntos e as celebrações da Paróquia Nossa Senhora das Neves aconteceram na Matriz Paroquial, em Córrego d'ouro, e na capela Nossa Senhora Aparecida, em Trapiche, Região Serrana de Macaé.

 

Em sua homilia Pe. Luis Antonio Fernandes ressaltou a importância de rezarmos por nossos irmãos falecidos, que apesar de ser um feriado não se trata de tempo de festejos e comemorações, e sim de muito silêncio, oração e reflexão. "No profundo crer que o Nosso Deus é o Senhor da vida e não da morte. Nós não estamos celebrando a morte como o fim, pois a fé nos dá a convicção de que a morte é a porta de entrada para a bem-aventurança eterna e feliz ao lado de Deus!"

 

Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Macaé
A Santa Missa Solene de Todos os Fiéis Defuntos na Matriz Nossa Senhora de Fátima, em Macaé, foi presidida pelo Pároco, Pe. Fábio Felippe, às 9h. Neste ano, devido a pandemia da Covid-19 e as suas consequências, a Celebração Eucarística teve a sua participação presencial limitada a cerca de 100 fiéis e com o devido distanciamento de segurança, em obediência aos decretos Municipal e Diocesano. Também contou com a transmissão AO VIVO através do canal do YouTube Pascom Fátima Macaé e as mídias digitais da paróquia.

Celebrar o Dia de Finados é celebrar a esperança na Vida eterna. Somente com o olhar da fé é possível significar esta data, dia em que se faz memória de tantos entes queridos: familiares e amigos que fizeram a sua Páscoa. E oportunidade de refletir sobre a peregrinação terrena.

 

O Pároco, em sua homilia, citou Dom Estevão Bittencourt para demonstrar a importância de viver com qualidade o momento presente. “A morte nos ensina que a hora de amar é agora”, a vida é efêmera, o futuro não nos pertence está nas mãos de Deus. No final, restará apenas o Amor e o bem que fizemos para nós e para os outros.

 

Paróquia Nossa Senhora da Glória - Macaé
Há poucos dias foi celebrada pelo Pároco, Pe. José Ruy Corrêa Júnior, na  Paróquia Nossa Senhora da Glória, em Macaé, o Dia de Finados. Nesta data, a liturgia nos recorda nossos irmãos na fé, que se foram na esperança da Ressurreição, e nos convida a oferecermos orações e súplicas em sufrágio por suas almas.

Pensar na morte não é fácil. Pelo olhar humano ela é sempre uma separação, uma ruptura, uma despedida. Ela sempre nos surpreende, nos causa medo e nos coloca diante de nossa precariedade humana. Ela é como um ladrão que vem no meio da noite, quando o dono da casa menos espera. Por isso, para nós cristãos, meditar sobre a morte também é refletir sobre a necessidade da vigilância, pois não sabemos quanto tempo ainda teremos nesta vida. Pela misericórdia divina, todas as nossas ações são transformadas e ganham um peso de eternidade. O bem que realizamos hoje não pertence somente ao tempo presente, mas estará eternamente diante de Deus.

 

Assim, aos olhos da fé, a morte para o cristão é um encontro. E este encontro com o Senhor deve ser o desejo que dá sentido à nossa vida, direcionando todas as nossas ações. Precisamos viver unidos a Cristo, com Ele experimentarmos cada alegria e sofrimento, para que ao final de nossa jornada na terra, estejamos preparados para receber o abraço amoroso do Pai, onde nossa existência será então glorificada e voltaremos a ser nós mesmos, da forma como Deus nos criou!

“Em Cristo brilhou para nós a esperança da feliz ressurreição. E, aos que a certeza da morte entristece, a certeza da imortalidade consola. Senhor, para os que creem em vós, a vida não é tirada, mas transformada. E, desfeito nosso corpo mortal, nos é dado nos céus um corpo imperecível” (Liturgia latina, Prefácio dos Defuntos I).

 

Paróquia Santo Antônio - Macaé

No dia 2 de novembro, a Paróquia Santo Antônio, em Macaé, celebrou a Comemoração dos Fiéis Defuntos, uma oportunidade de defrontar-se com a realidade de um grande mistério: a morte. Missas foram celebradas ao longo do dia com a participação dos fiéis e houve também a transmissão pelas redes sociais da paróquia.

O Pe. Gleison Lima, Pároco, presidiu a celebração e iniciou a homilia falando sobre a dor pela perda de um ente querido, colocando uma proposta de vida para cada um.

 

 - Nós sofremos com a perda dos nossos amigos e familiares, que nos deixa um certo vazio, a dor, a lembrança, a saudade e, claro, muitas vezes lágrimas, como as de Cristo, que chorou pela morte do seu amigo Lázaro. Mas diante disso tudo, penso que caberia uma proposta de vida: queremos passar a nossa vida lamentando por não termos podido fazer coisas com aquelas pessoas que já morreram ou vamos agradecer por aquilo que pudemos fazer com as pessoas que tivemos ao nosso lado? - indagou o sacerdote.

O presbítero citou ainda os Papas Francisco e Bento XVI, além de São Francisco, sobre a morte.

- São Francisco já nos ensinou a chamar a morte de nossa irmã. Como que nós lidamos com essa realidade? Por que temos tanto medo de falar da morte ou de pensar nela? Se é nossa irmã, não deveria ser temida. Deveríamos estar preparados para este grande momento. Que possamos pedir a graça de estarmos preparados a cada dia. É a ocasião de levantarmos os olhos para o céu. Lá é nossa pátria definitiva - ponderou o celebrante.

Texto:Pascom das Paróquias São João Batista (Macaé), Nossa Senhora das Neves (Macaé), Nossa Senhora de Fátima (Macaé), Nossa Senhora da Glória (Macaé) e Pascom Santo Antônio (Macaé)
Foto:Pascom das Paróquias São João Batista (Macaé), Nossa Senhora das Neves (Macaé), Nossa Senhora de Fátima (Macaé), Nossa Senhora da Glória (Macaé) e Pascom Santo Antônio (Macaé)

 


Compartilhe