Bispo preside Missa de retomada das atividades da Irmandade do Santíssimo Sacramento

Diocese de Nova Friburgo, 21 de outubro de 2020
Acessos: 281


Em 18 de outubro, Dia Mundial das Missões e também Dia do Médico, o Bispo Diocesano, Dom Luiz Antonio Lopes Ricci, presidiu a Santa Missa em ação de graças pela retomada da tradicional celebração com a participação dos integrantes da Irmandade do Santíssimo Sacramento, na Catedral Diocesana São João Batista, em Nova Friburgo, realizada no terceiro domingo de cada mês.

Concelebraram os Padres: João Machado Evangelho, atual Pároco da Catedral Diocesana, e Rafael Archetti, que embarcará para a Itália no próximo dia 31, para iniciar o Mestrado em Teologia no Pontifício Colégio Pio Brasileiro. Participaram desta celebração o Diácono Roberto Thurler, o Seminarista Marcus Vinícius Muros, ambos atuantes na Catedral, os membros da Irmandade do Santíssimo Sacramento e demais paroquianos.

 

Durante a celebração Dom Luiz Antonio saudou aos membros da Irmandade do Santíssimo Sacramento recordando que estes nos dão um testemunho de amor e zelo com a Santíssima Eucaristia. Sendo este o Dia do Médico, o Bispo trouxe à reflexão as palavras de uma médica friburguense, Dra. Victoria Aragão, de 25 anos, recém formada em medicina pela UNIG — (Universidade Iguaçu / Itaperuna), graduada em abril de 2020.

“...Escolhi a medicina por saber que poderia ser instrumento de Deus para cuidar do próximo. E em um momento ímpar na história da humanidade minha graduação foi antecipada... A medicina me chamava, precisava de mim. E assim, tive a oportunidade de ressignificar tudo ao meu redor, valer da solidariedade e unir no bom senso... Iniciar minha carreira profissional durante a pandemia está sendo desafiador, um aprendizado muito valioso. Trouxe à tona o quanto o sofrimento humano ainda nos é desconhecido... Moderação por entender que é impossível praticar uma boa medicina apenas com a ciência, deixando de lado a arte de considerar cada pessoa que busca ajuda como um ser humano único, que tem seu próprio tempo e próprias ideias. E com o papel de médica, minha nova arte é descobrir quando e como melhor aplicá-las a quem delas necessita”. (Jornal A Voz da Serra, Caderno Z, de 16 de outubro de 2020.

Trouxe ainda as palavras de outra médica, a Dra. Miriam Carvalho, que exerce a medicina há 25 anos. “... Cuidar de feridas é missão que não cabe em uma única profissão, mas cabe em um coração. O amor é nossa verdadeira missão, o sentido último do existir. Gratidão”. Mencionadas essas palavras da Dra. Miriam, o Epíscopo acrescentou. “Vejam como é bom celebrar o Dia das Missões com dois testemunhos concretos de pessoas concretas, senão ficamos muito no mundo da ideia. Ideia não mundo o mundo, o que muda o mundo é o amor”.

 

Ainda refletindo sobre o Dia Mundial das Missões, complementou.

- Deus pergunta: Quem enviarei? E Isaías responde: Eis-me aqui, envia-me. O Senhor nos chama, pelo Batismo somos todos discípulos de Jesus, missionários, somos chamados por Ele para exercer a nossa missão no mundo, missão de anunciar Jesus: caminho, verdade e vida. Ser um sinal de amor. Podemos ser um missionário com grandes ou com pequenas atividades. Quando colocamos amor no que fazemos, aquilo se transforma em missão, em vocação. Que possamos nos sentir todos missionários. Rezamos pelos missionários que estão longe da pátria e da família, mas que cada um, pela fé sinta-se chamado por Deus.

Selando com chave de ouro a pregação, o Sucessor dos Apóstolos declarou. “Devemos dar a Deus o que é Deus, Ele é o nosso primeiro amor”.

 

Ao final da celebração, Pe. João Evangelho agradeceu ao Epíscopo por presidir esta Santa Missa na Igreja Mãe da Diocese, e dirigindo-se à Irmandade do Santíssimo Sacramento disse. 

- Hoje, estamos retomando uma expressão que, aqui em Nova Friburgo, na Catedral, começou em 1853: a Irmandade do Santíssimo Sacramento. Homens e mulheres formam uma irmandade cujo objetivo é conhecer, fundamentar e fomentar um amor profundo ao Santíssimo Sacramento. Tanto que uma das missões de quem vai entrar ou está presente na Irmandade é durante a semana estar presente na Igreja fazendo presença, comunhão, em adoração ao Santíssimo Sacramento por todos nós... Devido à pandemia, eles deixaram de exercer uma série de situações que são próprias da Irmandade... mas os acolhemos com alegria.

Texto:Grasiele Guimarães
Foto:Grasiele Guimarães

 


Compartilhe