Acessos: 264

Maria, modelo de educadora na sabedoria e no amor


A Campanha da Fraternidade deste ano, com o tema "Fraternidade e Educação" e com o lema "Fala com sabedoria, ensina com amor" (Pr 31,26), cumpre o propósito deste evento organizado pela CNBB desde 1964: "ser um caminho para que os cristãos vivam a espiritualidade quaresmal com o sentido de mudança e transformação pessoal rumo à solidariedade a um problema concreto da sociedade brasileira". A realidade da educação interpela e exige profunda conversão de todos. E ninguém melhor do que Maria, a nossa querida Mãe, para ser referência de uma nova educação que "promova o desenvolvimento pessoal integral, a formação para a vida fraterna e a cidadania" (Texto Base 05).

Maria é a grande educadora da sabedoria que vivia com integridade e fidelidade os valores da fé, da verdade, da justiça, da fraternidade, conforme a Palavra de Deus, fazendo da casa de Nazaré, com São José, a primeira escola das virtudes humanas essencialmente integradas ao sentido maior da vontade do Senhor. Num sólido testemunho de fé-vida, iluminou a infância  e a juventude de Jesus, com os exemplos de trabalho, oração, fervor religioso, serviço missionário, partilha de caridade com os mais necessitados, responsabilidade com os deveres da justiça e comunhão social. Ensinava com amor o Filho de Deus, o Verbo Encarnado, que recebeu dela em sua natureza humana, verdadeira e completa, toda a educação ética, religiosa, cultural, espiritual, cidadã, como servo do Pai, no desenvolvimento global de sua humanidade. Os primeiros passos, as primeiras palavras, orações, os conselhos e orientações, a interação dos sentimentos, das tarefas do dia a dia, o suporte e o preparo carinhoso da alimentação, na cumplicidade com o 'homem justo" e pai adotivo do Salvador.

Nossa Mãe das Graças nos apresenta, em sua eloquente humildade e fortaleza, que a base da educação é uma família consistente, alicerçada em Deus, diante dos desafios da vida. Isto nos faz refletir sobre a importância de investirmos em ações de evangelização e formação em favor das famílias, estruturando-as como base de educação integral da pessoa. Deve haver na sociedade e diversos ambientes educacionais uma verdadeira mudança de mentalidade, na busca de um "...caminho educativo integral que humanize, promova e estabeleça relações de proximidade, justiça e paz" (TB 06). Nos diversos âmbitos, a educação deve ser iluminada pela Palavra de Deus, encontrando-se meios eficazes que favoreçam processos mais adequados e criativos a fim de que ninguém seja excluído deste projeto de promoção social.

  Maria, Mãe da dignidade humana, ensina com amor e testemunha a educação aberta às culturas, de ações verdadeiramente a serviço da vida, em especial, dos mais pobres. Ela nos convida a "refletir sobre os fundamentos do ato de educar. É encontro no qual todos são educadores e educandos. É tarefa da própria pessoa, da família, da Igreja e de toda a sociedade" (TB Ap.). Ela mesma aprendia muito de todo o processo histórico da Encarnação-salvação, enquanto ensinava como mãe zelosa, guardando tudo em seu coração (cf  Lc 2, 16-21;41-51).  A Mãe de Nazaré foi a primeira discípula-missionária do Verbo. Foi a educadora exímia, capaz de escutar e ler nos sinais da história, dialogando e discernindo o caminho, à luz do Espírito, acolhendo com humildade o Mistério de Deus. Iluminam este escutar e discernir, as encíclicas Laudato Si,

Fratelli Tutti, as propostas da economia de Francisco e de Clara, apresentadas pelo Papa Francisco.

   Por fim, agir, ter passos e metas, um projeto de vida, fonte de uma nova sociedade. A Educação planejada de forma   "sinodal", interativa, discernindo os melhores caminhos, políticas públicas, meios específicos, recursos, investimentos, junto às escolas, universidades e outros espaços educativos, com um serviço pastoral. Maria é a mulher da ação, numa profunda espiritualidade que transforma a oração e os ensinamentos em atos de amor solidário, como o serviço a Isabel, a cooperação com os discípulos, dando suporte ao seu filho na sua árdua missão, até aos pés da cruz, em comunhão com os apóstolos, como Mãe da Igreja, participando das ações e múnus da comunidade apostólica, inundada também pela luz de Pentecostes.

Nesta linha do AGIR-TRANSFORMAR é que o profético Papa Francisco apresenta o Pacto Educativo Global que impulsiona esta campanha e propõe educar para um novo humanismo, com a iluminação dos princípios cristãos. Que Maria, Mãe da Educação, abençoe este projeto e interceda junto ao Filho Mestre, Educador, derramando as graças necessárias para esta humana renovação social.

Boa campanha da fraternidade a todos!


Nova Friburgo-RJ, 22 de fevereiro de 2022


Pe. Luiz Cláudio Azevedo de Mendonça
Chanceler da Diocese de Nova Friburgo


Compartilhe