Acessos: 276

Palavra e vida


Na semana passada refletimos sobre o perigo do silêncio de nossos sentimentos. Nesta semana voltemos nosso olhar para o valor da palavra como fonte de vida.

Neste último domingo (23 jan. 22), o Papa Francisco ao refletir sobre a inauguração da pregação de Jesus (cf. Lc 4:14-21) recordou que, após a leitura do texto do Profeta Isaías, "todos os olhos estavam fixos Nele" (v. 20) e Jesus começa dizendo: "Esta Escritura, que você acabou de ouvir, foi cumprida hoje" (v. 21).

Seguindo a reflexão, Francisco nos convida a pensar no mistério da atualidade da Palavra de Jesus. “A Palavra de Deus é sempre ‘hoje’. Um ‘hoje’ começa: quando você lê a Palavra de Deus, um ‘hoje’ começa em sua alma, se você entende bem. Hoje. A profecia de Isaías remonta séculos antes, mas Jesus, ‘pelo poder do Espírito’ (v. 14), a torna atual e, acima de tudo, a traz à realização e indica o caminho para receber a Palavra de Deus: hoje. Não como uma história antiga, não: hoje. Hoje fale com seu coração”.

O Santo Padre chama atenção para a necessidade de encarnarmos a Palavra de Deus em nossa vida. “Os compatriotas de Jesus ficam impressionados com suas palavras. Mesmo que, ofuscados por preconceitos, não acreditem nele, percebem que seu ensino é diferente do de outros professores (cf. v. 22): sentem que há mais em Jesus”. E continua chamando a atenção aos que têm o compromisso de ensinar e pregar a palavra de Deus: “às vezes, acontece que nossas pregações e ensinamentos permanecem genéricos, abstratos, não tocam a alma e a vida das pessoas. E por quê? Por falta da força disso hoje, aquele que Jesus "preenche com significado" com o poder do Espírito é hoje. Hoje ele está falando com você. Sim, às vezes você ouve palestras impecáveis, discursos bem construídos, mas eles não movem o coração, e assim tudo permanece como antes”.

O Papa lamenta as vezes que as homilias em nossas Igrejas são abstratas e, em vez de despertar a alma, elas dormem. E denuncia: “A pregação sem a unção do Espírito, empobrece a Palavra de Deus, cai no moralismo ou conceitos abstratos; ele apresenta o Evangelho com desprendimento, como se estivesse fora do tempo, longe da realidade. E este não é o caminho. Mas uma palavra na qual a força de hoje não pulsa não é digna de Jesus e não ajuda a vida das pessoas. É por isso que aquele que prega, por favor, é o primeiro que deve experimentar o hoje de Jesus, a fim de poder comunicá-lo no hoje dos outros.

Concluindo a meditação dominical, o Papa Francisco ressalta que a Palavra de Deus é viva e eficaz e que produz vida. “Ela nos muda, entra em nossos assuntos, ilumina nosso cotidiano, conforta e traz ordem. Lembremos: a Palavra de Deus transforma qualquer dia no hoje em que Deus nos fala. Então, vamos levar o evangelho na mão, a cada dia uma pequena passagem para ler e reler. Leve o Evangelho no bolso ou na sua bolsa, para lê-lo na viagem, a qualquer momento e leia-o calmamente. Com o tempo, descobriremos que essas palavras são feitas propositalmente para nós, para nossa vida. Eles nos ajudarão a receber cada dia com um olhar melhor, mais sereno, porque, quando o Evangelho entra hoje, ele enche-o de Deus”.


Nova Friburgo-RJ, 25 de janeiro de 2022


Pe Aurecir Martins de Melo Junior
Assessor Diocesano da Pastoral da Comunicação


Compartilhe