Acessos: 403

Desperte o novo que há em você!


Esse é um texto sobre o recomeçar, no contexto do Ano Novo que se inicia, mesmo que, a princípio, não pareça.

 

Para os apaixonados por café, nada melhor que começar o dia com uma boa dose da bebida, preparada com grãos moídos na hora e coagem feita em uma cafeteira especial, como a prensa francesa ou a moca italiana, ou mesmo o tradicional coador de pano. Isso é maravilho! Contudo, tem gente que não sabe que o sabor do café se perde juntamente com o cheiro que escapa. Pois aquele pó guardado há dias dentro do pote que já está sem cheiro, sem gosto e sem encanto não serve pra mais nada. É preciso um novo pó a cada novo dia, se quiser ter cheiro e sabor.

 

Começar o dia despertando o barista que há em você (profissional que produz cafés especiais e bebidas baseadas no café) é uma ótima maneira de provocar a criatividade ao longo do dia. Não se trata de um requinte. É uma arte, assim como na culinária, que dá à mesa diária um toque de esforço pessoal para não permitir que a rotina se encha de tédio e preguiça.

 

Mas, por que falar de café se o tema central é o Ano Novo? A maior parte dos brasileiros inicia o dia com uma boa xícara dessa deliciosa bebida que, aliás, harmoniza com muita coisa. E cada um deles é um pouco barista nessa hora. Quem nunca saboreou o delicioso café da Dona Maria e ficou com receio de recusar, numa visita informal, a bebida mais oferecida em sinal de simpatia e acolhida? O café tem o poder de despertar em nós o recomeçar de todo dia, mas também o começar de uma aproximação amigável. É como se disséssemos: “não tenho nada a oferecer, porém, com o café se abre meu coração para você que se aproxima de mim”.

 

A cada novo ano, é preciso despertar algo novo dentro de nós para uma aproximação amigável com a nova etapa, que não pode acontecer sem o esforço realizado no ano anterior, dia após dia, tal como o café de todos os dias desperta em nós o sabor de recomeçar a jornada diária. Nada de mágico acontece na virada do ano. Eu e você continuaremos a mesma pessoa: aquela que soube recomeçar todos os dias com criatividade ou aquela que desistiu muitas vezes de despertar o barista que há em si logo pela manhã.

 

Na vida espiritual, é preciso despertar o santo que há em nós pela capacidade de, a cada manhã, a cada recomeço preparar com a bebida da oração a mesa alegre do dia a dia. Ninguém aprende a fazer um café delicioso sem o conhecimento e prática necessárias. E, assim como não é mágica despertar algo novo e criativo dentro de nós, tão pouco o é começar o ano sendo uma pessoa melhor, mais disponível, mais amável, mais generosa para com Deus, mais santa. O ano é novo para quem está se propondo ao novo a cada dia; para quem soube recomeçar depois de cada queda; quem não se conformou com o que já sabia, mas manteve a mente aberta a novos conhecimentos. Em resumo, não há nada de novo ao redor se dentro já não houver.

 

Não! Infelizmente, não existe um “pó de pirlimpimpim” que transforme tudo que eu fiz de errado em algo maravilhoso. Com responsabilidade e maturidade, enfrentemos com novo ânimo as consequências das escolhas erradas. Entretanto, assim como um novo dia pode começar melhor com o pó de café cheiroso, com sabor de moído na hora, assim sua vida se enche de esperança com o Ano Novo se você oferecer a ele o propósito de não desistir. Não temos nenhuma mágica a nosso favor, mas temos a graça de Cristo que opera na vontade e a aperfeiçoa. Assim, queira ser novo no Ano Novo, queira aproveitar mais uma chance e Deus também quererá te ajudar. Por fim, ofereça ao Ano Novo uma acolhida amorosa, cheia de realismo, mas graciosa e diga: “não gostaria de entrar para tomar uma xícara de café?”


Nova Friburgo-RJ, 04 de janeiro de 2022


Pe. Celso Henrique Macedo Diniz
Administrador Paroquial da Paróquia Santo Antônio e Cristo Ressuscitado (Prado) Nova Friburgo


Compartilhe