Acessos: 59

A perfeição cristã existe


Uma das mentiras contadas atualmente para nos fazer esquecer que a santidade é possível em seu estado perfeito na vida dos cristãos é essa: "esse é meu jeito, você precisa aceitar". Já refletiu sobre essa fala? Na boca de quem diz, demonstra soberba, desinteresse pela mudança, desprezo do amor e certeza de que não há o que melhorar. Aos ouvidos, soa como se fôssemos obrigados a aceitar qualquer tipo de mudanças para o melhor de nós mesmos.

Ao contrário, a vida dos santos sempre demonstrou que no início da conversão deve haver um desejo irrefreável de transformação de si mesmo, o qual é o despertar de uma nova forma de ver a meta da vida: ela foi feita para a união íntima com Aquele que nos amou primeiro. E essa união é capaz de mudar tudo, pois é amor, entrega e reciprocidade. Aquele que limita sua vida ao seu “jeito de ser” não permite que o outro se introduza em sua história. É o fechamento para tudo que humaniza, pois um coração humano não foi criado para estar sozinho, ele precisa da presença do Outro.

Mais uma mentira que impede de vermos a vida como um crescimento no amor e, por isso, uma mudança constante do jeito de ser, é permitir que os erros passados e a dificuldade de desapego dos mesmos se tornem um peso de culpa tão grande que impeça o olhar para a misericórdia divina, a qual é a verdade sobre nós mesmos mais que nossos tropeços.

Desfeitas as mentiras, é preciso ter uma boa disposição para a mudança. O primeiríssimo passo é a confissão dos pecados, meio ordinário para o estado de graça, de amizade com o Senhor, que garante valor para os esforços não serem em vão. O início da vida espiritual é a humilde confissão de nossas faltas graves, a luta para não voltarmos a elas e à firme resolução de desapego das coisas mundanas.

Já fez isso? Se não fez, lembre-se da brevidade da vida, da morte eterna no inferno, que são, pelo menos, meios imperfeitos para entrar no caminho da perfeição. Caso haja muito amor a Deus em você, esses passos podem ser adiantados. Geralmente, não havendo tal amor, alimente o desejo de agradar a Deus o quanto puder, que isso ajudará no desapego de tudo que possa atrapalhar.

No mais, é preciso muita força de vontade e lembrar que, hoje em dia, nem mesmo a ideia de um sofrimento eterno no inferno está causando medo nas pessoas. Quando sentem a necessidade de mudança, é porque tudo está dando errado na vida ou porque descobriram seus pecados mais escondidos, o que sugere falta de fé em Deus, que tudo vê. E já sabemos que sem fé é impossível agradar a Deus. A pessoa de fé, diante de uma decisão, se coloca, antes de tudo, perante a onisciência de Deus, pois teme o Senhor e deseja agrada-Lo antes que aos homens.

Aliás, a virtude da fé não pode faltar no início da busca de perfeição, pois justamente ela nos faz enxergar a união com Deus como a verdadeira e única meta da vida. E quem começa uma jornada precisa saber para onde está indo. A fé não é escuridão, mas visão, ainda que imperfeita, do sentido da existência.  Para saber se você a tem, pergunte-se: minhas mudanças têm origem em que experiência na vida? Se tudo o que te faz crer em Deus parte de situações mais ou menos desastrosas, é preciso amadurecer a fé por uma experiência íntima com o amor de Deus em Jesus Cristo.

Antes de terminar a reflexão, é preciso esclarecer que perfeição aqui não se trata de impecabilidade, ser politicamente correto, nunca se exaltar (isso é apatia) ou entrar numa forma que despreza a personalidade. Não! Ser perfeito cristão é buscar amar a Deus de todo o coração e não calcular a entrega da vida aos apelos do amor. Claro que é preciso romper com o pecado, todos sabemos (ou deveríamos saber). Mas, diante das diversas misérias humanas, o que prevalece é o amor que vai transformando.

Enfim, na oração, que nunca pode faltar na forma discursiva e apelante na vida dos iniciantes (via de regra, a maioria de nós está no início), peça a Jesus com insistência e esperança, o dom da verdadeira fé através de uma experiência de profundo perdão e amor. Quando tal experiência acontecer, o céu se abrirá, a graça chegará e os passos certos serão dados, pois a meta não será mais obscura. Coragem!


Nova Friburgo-RJ, 01 de fevereiro de 2021


Pe. Celso Henrique Diniz


Compartilhe