Acessos: 453

Mês Mariano Diocesano: 60 anos de Consagração à Imaculada Conceição


Celebrar o Mês Mariano Diocesano é, em primeiro lugar, render graças a Deus por nos ter dado como Mãe, a Sua Mãe. Jesus disse: “Eis aí a Tua Mãe” (Jo 19,27). Mas, também é celebrar uma pequena e significativa parte da história de nossa Igreja Particular. Em 26 de março de 1960, por um desígnio do Deus Bom e Clemente foi criada a Diocese de Nova Friburgo. O que chamava a atenção na jovem Igreja era o grande número de paróquias e comunidades dedicadas à Virgem Maria. Porém, o único título mariano que, na época, se repetia como Padroeira de Paróquia nos três Vicariatos era o de Nossa Senhora da Conceição, em Sumidouro, Duas Barras, Bom Jardim e Conceição de Macabu. As demais Paróquias da Diocese que hoje também têm ela por Padroeira, foram criadas posteriormente.

Por Breve Pontifício de 3 de julho de 1961, documento assinado pelo Papa Bom São João XXIII, a Diocese de Nova Friburgo recebeu como Padroeira Principal a Bem-aventurada Virgem Maria, sob o título de “Imaculada Conceição”, e como Padroeiro secundário São João Batista. Por conseguinte, a Diocese adquiriu uma nova relação com a Virgem Imaculada e com São João Batista: relação de proteção, de filiação, de auxílio, mas também dever de honrar e de imitar.

Mas, não bastava dizer que a Imaculada Mãe de Deus era a Padroeira da Diocese apenas no papel, era preciso aproximá-la do coração do povo. A localidade de Rio das Ostras, até então, apenas uma pequena comunidade dentro de um distrito de Casimiro de Abreu, possuía a imagem da Imaculada Conceição mais antiga de todo o território diocesano. Dom Clemente José Carlos Isnard, OSB, nosso primeiro Bispo Diocesano, iniciou uma peregrinação com esta imagem em toda a Diocese. Esta percorreu todas as vilas, povoados, bairros da Diocese, constituída na época de 23 paróquias e 13 municípios, chegando à cidade de Nova Friburgo no dia 24 de maio de 1962. Às 18h, a imagem foi transladada da Matriz de Olaria para a Catedral. As autoridades civis uniram-se a Dom Clemente Isnard e ao clero, seminaristas, educandários católicos e fiéis, concentrados na Praça Marcílio Dias (Paissandu), para receber a imagem, formando um só cortejo em direção à Catedral São João Batista, onde foi entronizada.

Após a sua chegada à Igreja Mãe foi celebrada a Santa Missa, seguindo-se a consagração do Bispado e a Vigília até às 24h, quando outra Missa foi celebrada. O programa, extenso e movimentado, aconteceu durante os dias 25, 26 e 27. Em 27 de maio de 1962, foi impressionante a religiosidade. Milhares de pessoas presenciaram um desfile, muitas delas nele se incorporando. No campo Nova Friburgo houve Missa Campal, a multidão enchia as arquibancadas e o gramado do espaçoso estádio. Dom Clemente Isnard presidiu a celebração, ladeado por outros quatro bispos. Terminada a Missa, o então Bispo de Nova Friburgo fez a consagração da Diocese de Nova Friburgo à Imaculada Conceição de Nossa Senhora. E seguiu-se um momento de indescritível entusiasmo: cerca de vinte mil pessoas aclamando Nossa Senhora, acenando com as suas bandeirinhas e cantando.

A partir de então, nossa Igreja Particular sempre contaria com a intercessão de Maria Santíssima e sua assistência Materna guiaria nossos passos. Dom Alano Maria Pena, nosso segundo bispo, sempre terminava suas pregações citando a "Escola de Maria”, onde o exemplo da Mãe de Deus deveria sempre iluminar nossa caminhada rumo à Casa eterna do Pai. Posteriormente, Dom Rafael Llano Ciuentes (terceiro bispo), que tinha uma devoção ardente à Virgem Maria, sempre insistia que a Diocese de Nova Friburgo deveria aumentar sua a devoção à Imaculada Conceição, tanto que no seu pastoreio, o nosso Seminário Diocesano voltou a ter a Patrona principal da Diocese como sua Padroeira.

 No ano Jubilar de 2010, comemorando os 50 anos da criação de nossa Diocese, Dom Edney Gouvêa Mattoso, quarto bispo, seguindo as pegadas de Dom Clemente, ordenou uma peregrinação jubilar da Imaculada Conceição por todas as paróquias e comunidades da Diocese, agora em três pequenas imagens, uma por Vicariato. Infelizmente, nesse período, aconteceu a tragédia climática na Região Serrana provocada pelas chuvas, porém, no meio de tantas tristezas, a presença da Virgem Maria peregrinando levou o consolo divino à tantas vítimas que sofriam com tal catástrofe.

Dom Luiz Antonio Lopes Ricci, chegou para ser o nosso quinto Bispo Diocesano num momento muito difícil para toda a humanidade: a pandemia de Covid-19. Ele, porém, também trouxe consigo uma imensa devoção à Virgem Maria. Como São João Batista pulou de alegria ainda no seio de Isabel com a visita da Virgem Maria, que trazia Jesus em seu ventre, nós também estamos pulando de alegria como pastoreio de Dom Luiz Antonio, que não apenas nos confirma na fé apostólica, mas também na alegria de Cristo, que veio ao mundo por Maria. Ele não será lembrado por ser o bispo da pandemia, mas, sim, por ser o bispo da alegria.

Agora, em maio de 2022, quando se comemoram os 60 anos da Consagração da Diocese de Nova Friburgo, vamos mais uma vez levar as três imagens da Imaculada Conceição pela nossa Diocese. Nas pegadas de Dom Clemente, que já haviam sido seguidas por Dom Edney em 2010, a Imaculada Conceição percorrerá os três vicariatos no Mês Mariano Diocesano para que, nessa época pós-pandemia, na sombra da guerra e no enfrentamento da crise econômica, o povo possa, com o seu auxílio Materno, saber transformar as tristezas em alegria.

Três pequeninas imagens da Virgem Maria podem parecer pouco para percorrer o imenso território da nossa Diocese em apenas um mês. Mas, elas são como os cinco pães e os dois peixes apresentados a Jesus para alimentar a multidão. Temos a certeza de que o Senhor multiplicará as graças por onde essas imagens passarem a ponto de, ao término da peregrinação, as graças serão tantas que irão até sobrar. Onde Nossa Senhora põe a mão, o inimigo não põe os pés, pois ela traz consigo a presença de Cristo. Maria é Mãe de todas as graças, porque é a cheia da Graça; Ela é Aquela que roga por nós agora e na hora de nossa morte. Amém.


Nova Friburgo-RJ, 17 de maio de 2022


Pe. Marcus Vinícius Moreira Falcão
Pároco da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, Nova Friburgo


Compartilhe