Esperança e verdade

Acessos: 38

Queridos irmãos e irmãs, em tempo de isolamento social a comunicação por meios tecnológicos se tornou a ferramenta mais eficaz para aproximar as pessoas, porém quando utilizada sem uma sadia consciência é um instrumento de pânico e incertezas.

A eficácia da comunicação é medida pelos frutos que ela produz no indivíduo e na sociedade. O Papa Francisco em Mensagem para o 54º Dia Mundial das Comunicações Sociais denunciou a grande confusão gerada por tantas vozes que nos rodeiam, e frente a esta realidade conclama que o mundo se empenhe numa narração mais humana e responsável “que saiba olhar o mundo e os acontecimentos com ternura, conte a nossa participação num tecido vivo, revele o entrançado dos fios pelos quais estamos ligados uns aos outros” (Papa Francisco, Mens. para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, 24 jan. 2020).

Vivemos um contexto histórico que se faz urgente tecer narrativas positivas, histórias que nos edifiquem e nos ajudem a reencontrar as raízes e a força para prosseguirmos juntos.

Seguindo a reflexão do Sumo Pontífice, lembro-me do apotegma das três peneiras de Sócrates. Diz-se que um rapaz procurou Sócrates para lhe contar algo sobre alguém. Diante do afã do jovem, Sócrates perguntou se o assunto a ser comunicado havia passado pelas três peneiras. Surpreso o jovem retrucou: – Três peneiras? Ao que Sócrates explicou: – Sim!

A primeira peneira é a VERDADE. O que você quer me contar é um fato? Caso tenha ouvido falar, mas não tem certeza da sua veracidade, a coisa deve morrer aqui mesmo.

A segunda peneira: a BONDADE. O que você vai contar é uma coisa boa? Ajuda a construir ou destruir o caminho, a fama do próximo?

A terceira peneira: a NECESSIDADE. Convém contar? Resolve alguma coisa? Ajuda a comunidade? Pode melhorar o mundo?

Conclui o grande pensador: – Se passou pelas três peneiras, conte! Tanto eu, como você iremos nos beneficiar. Caso contrário, esqueça e enterre tudo!

Esta sabedoria milenar deve se atualizar todos os dias em nossas relações, tanto pessoais como sociais. Somos agentes protagonistas da história, com nossas palavras e ações construímos hoje o futuro da humanidade.

Desde o ato criador Deus se comunica e se revela ao homem. Chegando à plenitude dos tempos a Palavra divina se fez carne e nos comunicou a Verdade. Esta é nossa meta, encarnar com nossas vidas as palavras de vida que d’Ele recebemos, construindo e propagando o Reino dos Céus neste mundo.

Lembremos que “ninguém é mero figurante no palco do mundo; a história de cada um está aberta a possibilidades de mudança. Mesmo quando narramos o mal, podemos aprender a deixar o espaço à redenção; podemos reconhecer, no meio do mal, também o dinamismo do bem e dar-lhe espaço” (Papa Francisco, Mens. para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, 24 jan. 2020).

Sejamos, pois, comunicadores da Verdade e da Esperança, elas nos conduzem ao único caminho para um mundo mais humano e fraterno.

Nova Friburgo-RJ, 26 de maio de 2020

Dom Paulo Antônio De Conto
Administrador Apostólico da Diocese de Nova Friburgo


Compartilhe