Dia de Vigília pelos mortos de Aids: Administrador Apostólico celebra Missa nesta intenção

Diocese de Nova Friburgo, 23 de maio de 2020
Acessos: 28


Na Diocese de Nova Friburgo, o Administrador Apostólico, Dom Paulo Antônio De Conto, presidiu a Santa Missa pelos falecidos de Aids, em 17/05, às 9h, dia em que é também celebrada a Vigília pelos mortos de Aids. A celebração aconteceu na Catedral Diocesana São João Batista, em Nova Friburgo, sem a presença de fiéis no templo, sendo transmitida pelo Facebook Oficial da Diocese.

O Administrador Apostólico lembrou que nesta ocasião devemos recordar todos os soropositivos que faleceram, ressaltando que mesmo na pandemia da COVId-19 é preciso lembra-se daqueles que estão morrendo por outros vírus, entre eles o HIV.

- O Evangelho de hoje (Jo 14,15-21) nos fala da importância do amor a Deus e aos irmãos. Muitas pessoas ao invés de viver profundamente o Deus amor, o nosso Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, se entregam aos falsos deuses: poder, ter e prazer. Esses falsos deuses destroem a pessoa. Quantos apegados ao deus ter? querendo mais e mais. Quem quer sempre mais explora, oprime, afasta, muitos ficam deuses com pensamento no capital. E o prazer? Os prazeres que o mundo oferece e muitos se atiram. Quem está apegados aos prazeres, sejam quais forem, está sujeito a morrer – refletiu Dom Paulo.

Prosseguindo com sua fala, o Epíscopo complementou.

- Quando lembramos nessa Vigília as pessoas que morreram de Aids, é um vírus que está se espalhando e muitos adquirem sem saber como, e é uma doença terrível. Lembramos os falecidos, que Deus se compadeça e os acolha no céu. E que a nossa oração hoje seja para que todos tomem a consciência da importância de se preservar e se cuidar, da importância de seguir a Deus. Portanto, queremos abandonar os falsos deuses e ficar com o verdadeiro Deus amor, que nos pede e nos dá o grande remédio para curar todos os males e doenças: o amor. Quando amamos a Deus e ao próximo também temos uma saúde física muito mais digna e santa, uma saúde que todos gostam de ter.

Saudando todos os que acompanhavam a Santa Missa pela internet em seus lares, Dom Paulo também cumprimentou a Coordenadora Diocesana da Pastoral da Aids, Ana Carolina Barbosa, que estava presente na celebração, ela que desde 1996 se dedica à causa, acolhendo os portares do vírus HIH e animando os trabalhos da Pastoral da Aids e, inclusive, já foi Presidente Nacional.

Os símbolos da Vigília também foram expostos na Santa Missa: as chamas das velas acesas e a colcha de retalhos. As chamas das velas sinalizam a vigilância e ao mesmo tempo procura iluminar a realidade da epidemia e a solidariedade com os portadores do HIV. Já a colcha de retalhos lembra que a vida se tece nas relações e com a ajuda de muitos. É confeccionada com pedaços de panos que representam as pessoas que nos deixaram. O laço vermelho símbolo mundial de luta contra a Aids também foi colocado em local visível durante toda a celebração.

A Vigília pelos Mortos de Aids teve início em 7 de maio de 1983, por um grupo de mães, parentes e amigos de soropositivos que morreram. A primeira aconteceu em Nova Iorque, nos Estados Unidos, com o intuito de mobilizar a sociedade para os problemas do HIV.

Texto:Grasiele Guimarães
Foto:Grasiele Guimarães

 


Compartilhe