facebook  webmail-2  IOS NOVO  AND NOVO  anuario-icone 

 

Newsletter

Inscreva-se aqui para receber as novidades da Diocese de Nova Friburgo.
sede-templo-de-riograndina-completa-121-anos-de-construcao-e-paroco-celebra-seis-anos-de-posseNa noite de 18 de outubro, a comunidade de Riograndina, em Nova Friburgo, teve vários motivos...
sede-celebracoes-a-santa-edwiges-acontecem-com-triduo-festivoEntre os dias 13 e 16 de outubro de 2017, a Paróquia Santa Edwiges, situada no bairro Vale dos...
litoral-paroquia-nossa-senhora-da-saude-promove-xxv-encontro-de-jovens-em-casimiro-de-abreu“E por isso é que foi dito: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo...
comunidade-de-sumidouro-acolhe-bispo-em-visita-pastoralTer a alegria de receber o Sucessor dos Apóstolos em sua comunidade. Esta foi a experiência...
litoral-encerramento-do-ano-mariano-e-realizado-nas-matrizes-paroquiais“Na imagem de Nossa Senhora Aparecida, ‘há algo de perene para se aprender’. Deus ofereceu ao...

“O Verbo se fez carne e habitou entre nós”, recorda Bispo na Missa de Natal

Emanuel, Deus Conosco, Filho do Altíssimo, Rei dos Reis, Messias, Salvador da Humanidade, Filho Unigênito. Todos esses nomes e uma só Pessoa: Jesus Cristo. Para celebrar Seu Nascimento, a Igreja Católica no mundo inteiro, com a mesma liturgia, se uniu nos dias 24 – Véspera Solene - e 25 de dezembro – Solenidade de Natal. A encarnação do Salvador, auge da história da cristandade, foi comemorada na Diocese de Nova Friburgo em todas as 60 Paróquias e mais de 400 Capelas e Pontos de Celebração, assim como nos hospitais, asilos e outros espaços.

natal destaque

A Catedral Diocesana São João Batista, em Nova Friburgo, recebeu o Bispo, Dom Edney Gouvêa Mattoso, em ambas as datas. Nas ocasiões, o Prelado deixou uma mensagem de força, fé e coragem aos fiéis, lembrando que a imagem de Cristo é sempre retratada de braços abertos aos Seus Filhos, acolhendo a todos.

Véspera Solene

“Nasceu para nós um Menino, Seu nome é Emanuel! Ele nos lembra que por mais complicadas e difíceis que sejam as situações pelas quais passamos nesta vida, Ele estará sempre conosco!”, afirmou o Prelado logo no início da Missa. Após o canto do Glória, o Bispo entronizou na manjedoura em frente ao altar a imagem do Menino Jesus.

natal arauto

“A celebração de hoje marca a chegada de Deus entre nós. Deus que se humanou, que se fez homem”, essa afirmação conduziu a pregação do Bispo, que observando o Evangelho e a realidade atual, expressou aos fiéis o Amor do Pai ao enviar Seu Filho a este mundo.

Recordando o Evangelho de São Lucas, frisou que este trazia de forma admirável o nascimento de Cristo, criando uma cronologia de acontecimentos desde o recenciamento até a chegada do Salvador. O papel de São José neste contexto foi lembrado, assim como a busca por um lugar para a Família de Nazaré se hospedar e o anúncio do anjo aos pastores.

natal nave

- O anúncio do nascimento de Jesus de um lado é preparado por assim dizer de uma forma muito comum e até anônima. Por outro lado, o evangelista traz para nós o nascimento de um Deus. A celebração litúrgica do Natal ou mesmo outras solenidades querem traduzir um pouco desta dualidade: se de um lado somos chamados a contemplar o Menino recém-nascido pobre, frágil, reclinado numa manjedoura, por outro ângulo somos convidados a entrar na grandiosidade da manifestação de Deus entre os homens.

E continuou.

- A vida de Nosso Senhor no mundo foi marcada por esta realidade. Mesmo a Sua Paixão e Morte são traduzidas para nós na mais absoluta liberdade, numa liberdade possível apenas a um Rei: ‘Ninguém tira a minha vida. Eu a entrego livremente’. Até no momento da cruz, apesar de fragilizado e humilhado, Jesus se apresenta como alguém que completou a missão que o Pai Lhe confiou, ‘Tudo está consumado’. Se olharmos o curso da existência do Senhor, veremos que a Sua Vida humana transparecia a Sua Filiação Divina: ‘Eu e o Pai somos um. Quem me vê, vê ao Pai’.

natal dom

“O Natal será sempre feliz mesmo que estejamos envoltos em grandes sofrimentos, pois é a certeza da presença de um Deus solidário com a nossa condição”. O Bispo também lembrou que a imagem de Jesus, tanto na manjedoura quanto na cruz, está sempre de braços abertos aos Seus Filhos. Frisou ainda quais foram os personagens que receberam primeiro a notícia do nascimento e da ressurreição de Cristo – os pastores e Maria Madalena, respectivamente – salientando que esses eram os excluídos pela sociedade da época, mas que Deus se revelou a eles pois o Seu Reino é para todos.

O Vigário Geral e Pároco, Pe. Marcus Vinicius Macedo, antes da bênção final, desejou um Feliz e Santo Natal ao Bispo e aos fiéis presentes. “São Francisco de Assis dizia que o presépio é uma Cátedra e como o lugar do Bispo é na Cátedra, permita-nos hoje entroniza-lo na Cátedra do presépio. Queremos deixa-lo neste local, hoje bem próximo desde Menino que já está sorrindo para suas intenções e para o seu coração”, disse dirigindo-se ao Bispo.

A Santa Missa foi concelebrada pelo Pe. Marcus Vinicius, pelo Vigário Paroquial da Catedral, Pe. Cláudio Menezes, e pelo Vice-Reitor do Seminário, Pe. Fernando Pacheco. Também estiveram presentes o Mestre de Cerimônias, Pe. Lourenço Ferronato, EP, e os quatro futuros sacerdotes deste território episcopal, Diáconos Fabrício Melo, Higor Moraes, Rafael Archetti e Yves Mozer.

Solenidade de Natal

No dia 25, com a presença dos Padres Marcus Vinicius, Cláudio e Lourenço e dos Diáconos Higor, Rafael e Fabrício, o Prelado celebrou a Santa Missa Solene do Natal. Com a Catedral lotada, falou em sua pregação sobre o prólogo de São João, que revela que ‘o Verbo se fez carne e habitou entre nós’. “Ele é o Verbo, a Palavra Criadora de Deus. Jesus é esta Palavra que se encarnou no seio da Virgem Maria e se fez Homem. Hoje, diferentemente dos outros dias, concedi a bênção com o Livro dos Evangelhos aberto justamente para enfatizar que a Palavra de Deus armou a Sua tenda entre nós e é o sinal da Sua bênção”.

natal vertical

“O Criador, o Autor, o Consumador de todas as coisas sem fazer caso da Sua condição assumiu a nossa carne com todas as consequências inerentes a este gesto”. Citando o capítulo 2 da Carta de São Paulo aos Filipenses lembrou que Cristo mesmo tendo condição divina não se apegou a isso, mas assumiu a nossa humanidade fazendo-se homem obediente até a morte na cruz. “O arco da existência humana de Jesus é uma expressão perfeita do cumprimento desse plano de Amor do Pai em relação a todos nós”. 

- O grande desafio é esse: percebermos quando estamos em meio a situações complicadas, que vão desde os nossos pecados até os sofrimentos que enfrentamos, a presença de Deus, do Emanuel. Muitas vezes o nosso coração, lugar privilegiado em que o Senhor quis nascer, tem na gruta de Belém uma imagem perfeita. Aquela gruta era feia, escura, no meio do deserto, fria, cheirava mal, como tantas vezes é o nosso coração. Pois foi exatamente ali que Ele quis nascer.

“A linguagem do presépio é do acolhimento. Aquele que não foi acolhido por ninguém acolheu a todos em Seu Amor”, finalizou o Epíscopo. A mensagem natalícia de encerramento foi feita pelo Vigário Geral e Pároco. Dom Edney concluiu desejando um Feliz Natal aos presentes e recebendo o carinho do povo de Deus após a bênção a final.

Texto: Monara Teixeira
Fotos: Arautos do Evangelho/NF, Jorge Ronald
link hotsite3

PARÓQUIAS DA DIOCESE

 

Pensamento da Semana

 O que nos dá alegria e nos aproxima de Deus devemos buscar para os irmãos.

Dom Edney Gouvêa Mattoso