facebook  webmail-2  IOS NOVO  AND NOVO  anuario-icone 

sede-ano-do-laicato-paroquias-vivenciam-semana-da-familia'O Evangelho da Família, alegria para o mundo'. Esse foi o tema escolhido para a reflexão da...
sede-unidade-diocesana-e-ano-do-laicato-sao-temas-de-reuniao-vicarial-da-pascomCom o objetivo de traçar os últimos detalhes no que se refere à comunicação da XLI Unidade...
sede-paroquia-nossa-senhora-das-gracas-realiza-mais-um-arraia-de-gracasO sábado (11/8), foi de festa na Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Olaria. A comunidade se...
semana-nacional-da-familia-na-diocese-de-nova-friburgoEntre 12 e 18 de agosto, a Igreja Católica celebra a Semana Nacional da Família, evento...
governo-itinerante-50-fieis-sao-confirmados-pelo-bispo-em-macaeEm prosseguimento aos compromissos do Governo Itinerante no Vicariato Litoral, o Bispo...

NOTA OFICIAL - Dom Edney Gouvêa Mattoso

Nota oficial de repúdio a descriminalização do aborto

A vida humana é constituída de um valor sagrado e inviolável, deve ser protegida desde sua concepção até o seu ocaso. Neste contexto, repudiamos com veemência a “descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação”, discutida na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442.

Nosso repúdio visa defender os mais inocentes que já foram ou serão concebidos, para que tenham direito a uma existência humana digna, como seres únicos e irrepetíveis, diferentes de seus pais.

Vivemos na atualidade de nosso país um tempo histórico da Democracia. Não podemos permitir que a construção de um país justo, pacífico e livre prescinda da garantia do direito à vida desde a sua concepção até o seu declínio natural. O aborto voluntário é um ‘crime abominável’ em qualquer estágio do desenvolvimento embrionário!

“A abertura à vida está no centro do verdadeiro desenvolvimento. Quando uma sociedade começa a negar e a suprimir a vida, acaba por deixar de encontrar as motivações e energias necessárias para trabalhar ao serviço do verdadeiro bem do homem” (Caritas in veritate, 28).

A gestação de uma nova vida humana, seja qual for a raça ou o sexo, está inexoravelmente vinculada a determinadas leis biológicas. A robusta constatação da Embriologia bastaria para que os Srs. Ministros da Corte Suprema proclamem o valor jurídico do embrião humano, constituindo jurisprudência sobre a máxima efetividade do direito à vida, sem prazos de validade que “coisificam” o embrião.

O Estado é “guardião” do direito à vida, protegendo a igual dignidade de cada ser humano desde o início de sua existência no ventre materno. Deve rejeitar e desmascarar todas as reivindicações de “morte ao nascituro”, por vezes recheadas de expressões dissimuladas diabolicamente estudadas, que manipulam a linguagem, inclusive a normativa que visa estabelecer mudanças legislativas absurdas e antinaturais.

Proteger a vida humana é também dever da Igreja no seio da Sociedade. Trata-se do principal direito dos cidadãos. “A defesa do inocente nascituro deve ser clara, firme e apaixonada, porque neste caso está em jogo a dignidade da vida humana, sempre sagrada, e exige-o o amor por toda a pessoa, independentemente do seu desenvolvimento” (Exortação Apostólica Gaudete et exsultate, 101).

Sejamos conscientes! O aborto nunca será solução. A corajosa opção pela vida é a realização mais plena da liberdade e do desenvolvimento humano.

Que a Virgem Maria, imaculada desde a sua concepção, interceda junto a Deus em favor de todos os que defendem e promovem a vida.

Dom Edney Gouvêa Mattoso
Bispo Diocesano de Nova Friburgo
link hotsite3

PARÓQUIAS DA DIOCESE

 

Pensamento da Semana

 O que nos dá alegria e nos aproxima de Deus devemos buscar para os irmãos.

Dom Edney Gouvêa Mattoso