facebook  webmail-2  IOS NOVO  AND NOVO  anuario-icone 

 

Newsletter

Inscreva-se aqui para receber as novidades da Diocese de Nova Friburgo.

A voz do pastor

25/09/2018, 16:07
a-sagrada-escritura-e-a-vida-cristaCaros amigos, a Palavra de Deus está na base da vida cristã, ela é alimento da alma e fonte perene de...
18/09/2018, 13:16
a-sagrada-escritura-na-igrejaCaros amigos, na semana passada, diante da tragédia do Museu Nacional, refletíamos sobre a importância...
11/09/2018, 13:03
o-apelo-da-culturaCaros amigos, entre tantas preocupações da Igreja encontramos o cuidado com os bens culturais que...
04/09/2018, 19:17
ignorar-as-escrituras-e-ignorar-cristoCaros amigos, a pastoral da Igreja, neste mês que iniciamos, dedica sua reflexão à Bíblia e propõe...
28/08/2018, 19:16
ser-catequista-uma-vocacaoCaros amigos, no último domingo a Igreja no Brasil comemorou o Dia do Catequista. Inserido no contexto...

O valor do Diálogo

A voz do pastorCaros amigos, a pouco tempo dedicamos uma reflexão sobre a responsabilidade em comunicar a verdade nas redes sociais. Hoje, voltamos a falar de comunicação, mas em um sentido um pouco mais amplo.

O Papa Francisco na mensagem para 52º Dia Mundial das Comunicações sociais afirmou que uma boa comunicação é essencial para comunhão. Neste sentido, comunicar é muito mais que compor frases e palavras e compartilha-las nas redes. É forjar a própria identidade e pôr-se em relação com o outro e com o mundo.

A comunicação possui grande valor na dinâmica da Revelação. “Na riqueza do seu amor, Deus fala aos homens como amigos e convive com eles, para os convidar e admitir à comunhão com Ele” (Dei Verbum, 2). A linguagem divina, acomoda-se à linguagem humana afim de que o homem possa conhecer a inefável benignidade do Criador. A plenitude da comunicação de Deus aos homens se dá na encarnação do Verbo eterno do Pai; assumindo a condição humana torna-se semelhante aos homens (cf. idem, 13)

O Concílio Vaticano II sentencia que a ‘economia’ da revelação se dá na íntima relação das ações e palavras de Deus na história da salvação. Analogamente, a comunicação humana só é eficaz quando estão unidas obras e palavras.

Diante disso, temos que nos questionar sobre o uso que fazemos das palavras: Qual é a sua qualidade? Elas nos levam ao encontro com o próximo?

A comunicação só nos humaniza quando nos permite conhecer o outro ao mesmo tempo que nos revela a nós mesmos. É preciso avaliar se nossas palavras são capazes de “construir pontes”, criar relações fecundas, instruir e levar conforto, porém, não é menos verdade que podem ser armas mortais e destruidoras de tudo o que há de bom.

Em uma sociedade onde a comunicação a cada dia se torna mais virtual, aumenta o risco de perdemos a beleza do encontro. Não se pode substituir a presença por palavras vazias, e se deve ter sempre o cuidado de não substituir as relações interpessoais pelas amizades virtuais, limitando a vida ao espaço virtual das redes sociais, que podem nos encerrar no individualismo.

Estão cada vez mais raras as conversas sinceras olho no olho. As novas mídias têm o poder de aproximar pessoas que estão distantes e, ao mesmo tempo, afastar os que estão próximos. É comum ver amigos sentados em uma mesma mesa, cada qual conectado ao próprio mundo ‘on-line’ fechados nos horizontes de seus próprios interesses, e ignorar os que estão ao redor.

As relações familiares fundadas no dinamismo do amor, são o antídoto de uma comunidade cada vez mais individualista. “Na família, é sobretudo a capacidade de se abraçar, apoiar, acompanhar, decifrar olhares e silêncios, rir e chorar juntos, entre pessoas que não se escolheram e todavia são tão importantes uma para a outra… é sobretudo esta capacidade que nos faz compreender o que é verdadeiramente a comunicação enquanto descoberta e construção de proximidade” (Mensagem para o dia 49º Mundial das Comunicações Sociais).

O centro vital da comunicação é o vínculo que está na base da palavra, isto é, o encontro. É ele que deve moldar a nossa interação com as tecnologias, de modo que não sejamos envolvidos por elas. Em um mundo no qual impera o individualismo deve florescer o valor do diálogo que “nos enriquece, porque nos faz identificar a verdade do outro e a importância de sua experiência” (Papa Francisco), tornando-nos verdadeiros irmãos.

Dom Edney Gouvêa Mattoso, Bispo Diocesano de Nova Friburgo

link hotsite3

PARÓQUIAS DA DIOCESE

 

Pensamento da Semana

 O que nos dá alegria e nos aproxima de Deus devemos buscar para os irmãos.

Dom Edney Gouvêa Mattoso