facebook  webmail-2  IOS NOVO  AND NOVO  anuario-icone 

A voz do pastor

16/10/2018, 16:49
nossa-missao-e-unir-o-que-esta-divididoCaros amigos, o resultado das eleições no primeiro turno, dentre muitas coisas, evidenciou o grande...
09/10/2018, 14:10
educar-para-o-bemCaros amigos, no próximo dia 15 comemoramos o dia dos professores. Neste ensejo, cabe-nos refletir sobre...
02/10/2018, 14:01
o-consciente-exercicio-da-democraciaCaros amigos, no próximo domingo somos chamados a exercer livre e responsavelmente o nosso papel cívico....
25/09/2018, 16:07
a-sagrada-escritura-e-a-vida-cristaCaros amigos, a Palavra de Deus está na base da vida cristã, ela é alimento da alma e fonte perene de...
18/09/2018, 13:16
a-sagrada-escritura-na-igrejaCaros amigos, na semana passada, diante da tragédia do Museu Nacional, refletíamos sobre a importância...

Arte e sociedade

A voz do pastorCaros amigos, a arte é uma das expressões mais sublimes da cultura humana. Poderíamos dizer, inclusive, que na arte o homem “põe o seu coração”, ou seja, aquilo que pode encontrar de mais belo e verdadeiro no seu interior. Por isso, ela nos emudece por um instante e muda algo dentro de nós, confronta-nos, questiona-nos e fala-nos.

A arte pertence ao fazer humano e grandes civilizações são reconhecidas pela magnificência das obras de arte que produziram e legaram à humanidade. Hoje, são reconhecidas 11 tipos de expressões artísticas: as seis tradicionais - música, dança, pintura, escultura, teatro e literatura - e outras cinco que surgiram na modernidade - cinema, fotografia, histórias em quadrinhos, jogos multimídia e arte digital.

Ao mesmo tempo em que “imitam” o homem e a sociedade, as obras de arte também possuem um importante papel pedagógico. O escritor inglês Oscar Wilde disse que: “a vida imita a arte muito mais do que arte imita a vida”. Deste modo, poderíamos falar também de um serviço social da arte e, portanto, de uma responsabilidade social do artista.

Nas palavras de São João Paulo II: “De fato, a sociedade tem necessidade de artistas, da mesma forma que precisa de cientistas, técnicos, trabalhadores, especialistas, testemunhas da fé, professores, pais e mães, que garantam o crescimento da pessoa e o progresso da comunidade, através daquela forma sublime de arte que é a ‘arte de educar’. (...) A vocação diferente de cada artista, ao mesmo tempo que determina o âmbito do seu serviço, indica também as tarefas que deve assumir, o trabalho duro a que tem de sujeitar-se, a responsabilidade que deve enfrentar. (...) Há, portanto, uma ética ou melhor uma ‘espiritualidade’ do serviço artístico, que a seu modo contribui para a vida e o renascimento do povo (Carta aos artistas, 4).

Assim, a liberdade de expressão do artista, e a de todos os cidadãos, esbarra na responsabilidade que tem perante a si mesmo, ao outro, à natureza e, acima de tudo, perante a Deus, pois uma liberdade absolutamente ilimitada não é possível ao homem: ser finito e social.

O que contemplamos nos últimos meses em relação às exposições de arte que denigrem o ser humano, sua fé e cultura, e o restante da criação, são um desrespeito claro a sociedade que, por sua parte, deve manifestar sua contrariedade e indignação. Ver o mal ser feito e omitir-se é um comportamento indigno do ser humano. Também é preciso recordar que o vilipêndio de objetos religiosos é crime! (Cfr. Código Penal art. 208).

Dom Edney Gouvêa Mattoso, Bispo Diocesano de Nova Friburgo

link hotsite3

PARÓQUIAS DA DIOCESE

 

Pensamento da Semana

 O que nos dá alegria e nos aproxima de Deus devemos buscar para os irmãos.

Dom Edney Gouvêa Mattoso